87,6% das vagas da Lei de Cotas são preenchidas na região

0
Carlos Aparício Clemente apresenta resultados da pesquisa

Carlos Aparício Clemente apresenta resultados da pesquisa
Carlos Aparício Clemente apresenta resultados da pesquisa

publicidade

Auris Sousa

A maioria das metalúrgicas da região de Osasco com mais de 100 funcionários cumpre a Lei de Cotas (8.213/91). No ano passado, 87,6% das vagas previstas pela legislação foram preenchidas. A informação faz parte da 8ª Pesquisa: Trabalhadores com Deficiência no Setor Metalúrgico de Osasco e Região, divulgada na quarta-feira, 12, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em Presidente Altino.

Estudo abrange 12 cidades

publicidade

Feito pela entidade em parceria com a Gerência Regional do Trabalho e Emprego de Osasco, o estudo abrange 12 cidades da região e teve como base o perfil de contratação de 109 empresas metalúrgicas, as quais são obrigadas a preencher de 2% a 5% das vagas com pessoas com deficiência ou reabilitadas.

A pesquisa mostra que 48,5% das metalúrgicas superaram o limite máximo de contratação exigido por lei. É o caso daquelas que se enquadram nos segmentos de fundição/siderurgia, com 114,3%, e automotivo, 100,3%.
“Internamente nos organizamos para o setor [metalúrgico] avançar nas contratações. E a pesquisa colabora para nortear o trabalho da diretoria para o aumento do índice [de cumprimeiro da Lei de Cotas]”, explicou o vice-presidente do Sindicato e coordenador do Espaço da Cidadania Carlos Aparício Clemente.

publicidade

Gerência vai passar a autuar empresas que não cumprem lei

O estudo também apontou alguns problemas. Entre eles estão: 3,7% das metalúrgicas que não cumprem a legislação; e a preferência por deficiência. De acordo com o levantamento, 44,7% dos contratados na Lei das Cotas tinham algum tipo de deficiência física e 30,3%, auditiva, seguidos por deficientes visuais (9,4%), intelectuais (3,5%), pessoas com deficiências múltiplas (1,3%) e reabilitados (10,8%).

Às empresas que não cumprem a lei, o representante da Gerência Regional do Trabalho de Osasco Adelino Ferreira Costa deu o alerta: “Serão fiscalizadas e, se não estiverem cumprindo a lei, autuadas.”

Ele explicou que nos últimos 13 anos o foco da fiscalização era orientar e conscientizar para a inclusão das pessoas com deficiência, mas que neste ano a missão será “conferir se as empresas cumprem ou não a Lei de Cotas”.

Por município

Na contratação por município, Barueri lidera o ranking nas indústrias metalúrgicas. Na cidade, 122,5% das vagas da Lei de Cotas foram preenchidas. Também merece destaque Vargem Grande, com 102,7%, e Taboão, com 101,9%.

Para Carlos Aparício Clemente, a pesquisa é completa porque também “possibilita aos municípios da região desenvolverem ações para aumentar o percentual das contratações.”

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHoróscopo
Próximo artigoReceitas e Temperos com Sandra Matarazzo