“A arma de Bolsonaro não para de dar tiro contra o povo”, diz Alckmin

0
Geraldo Alckmin
O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin

O candidato à presidência Geraldo Alckmin (PSDB) criticou, nesta quinta-feira (27), as declarações de General Mourão, o vice de Jair Bolsonaro (PSL), sobre direitos trabalhistas como o 13º salário e adicional de férias. “A arma de Bolsonaro não para de dar tiro contra o povo”, afirmou Alckmin.

publicidade

“Acabar com o 13º, com direitos trabalhistas, é um retrocesso total. A nossa prioridade é melhorar a vida da população”, completou o candidato do PSDB à presidência.

As declarações de Mourão voltaram a gerar turbulência na campanha de Bolsonaro, que desautorizou seu vice via Twitter. “Criticar 13º é uma ofensa a quem trabalha”, afirmou o candidato do PSL a presidente.

publicidade

Nesta quinta, Alckmin também citou outras propostas cogitadas pela equipe do adversário, como recriação da CPMF e a unificação da alíquota de Imposto de Renda. Para o tucano, essas medidas onerariam os mais pobres e a classe média.

publicidade

Comentários