Início Brasil Advogado pede prisão de cantor que disse, em show, que “Jesus é...

Advogado pede prisão de cantor que disse, em show, que “Jesus é travesti”

1
Johnny Hooker
O cantor Johnny Hooker

Da Revista Fórum

publicidade

O cantor pernambucano Johnny Hooker se tornou, nesta segunda-feira (30), alvo de uma notícia crime que pede sua prisão preventiva por, supostamente, ter “ofendido” seguidores do cristianismo. A queixa foi feita pelo advogado Jethro Ferreira, da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas, que pede a prisão preventiva de Hooker.

A motivação da notícia crime foi uma fala feita pelo cantor em sua apresentação na última sexta-feira (27) no Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), em Pernambuco. Durante o show, Hooker saiu em defesa da atriz Renata Carvalho e da peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, que traz o personagem bíblico na pele de uma travesti e que sofreu tentativa de censura no festival.

publicidade

“E se Jesus voltasse agora à terra como uma travesti? Não era para amar ao próximo como a si mesmo? Estamos aqui num festival de falso viva à liberdade. Pois, eu quero dizer que Jesus também é travesti”, afirmou o cantor.

publicidade

Para o advogado Jethro Ferreira, Johnny Hooker teria cometido infrações penais pois “as pessoas que professam a fé cristã têm a pessoa de Jesus Cristo como uma pessoa do sexo masculino, heterossexual […] Qualquer afirmativa diferente desses dogmas é considerada uma ofensa à fé cristã”.

Ele usou como base, em sua notícia crime, artigo 20 da Lei Federal nº 7.716, que prevê que quem “pratica, induz ou incita a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional” está sujeito a uma pena de reclusão de um a três anos e multa.

Em nota, a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT) manifestou apoio ao cantor e à equipe do espetáculo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”.

“A ABGLT reconhece que artistas como Johnny, Renata e tantas outras tem emprestado sua arte para um ativismo em defesa de nossa luta e de nossos corpos, o que tem incomodado de sobremaneira o patriarcado e o machismo que reforçam as violações diárias a todas nós LGBTI+. Por isso nos solidarizamos e nos colocamos a disposição para todo e qualquer tipo de apoio necessário”, diz a nota da entidade.

“As repetidas tentativas de censura contra a peça e os ataques e denúncias sofridas por Johnny Hooker são reflexos da intolerância e LGBTIfobia presentes na nossa sociedade”, continua a entidade.

—–
Leia também:
Igreja evangélica em Carapicuíba acolhe gays, prostitutas “e todos aqueles que são repudiados”
—–

“Renata Carvalho, atriz protagonista da peça, se posicionou em entrevista ao jornal O Globo, afirmando que ‘Jesus é tido como a imagem e semelhança de todo mundo, menos de nós pessoas trans’, levantando questionamento sobre a falta de tolerância e respeito com as pessoas trans e seus corpos. Nesse sentido, entendemos o protesto do cantor, ao declarar que ‘Jesus é travesti, sim’, como fundamental na luta contra a censura e silenciamento da população transexual e travesti”, emenda a ABGLT.

Leia mais no site da Revista Fórum

Comentários