Início Política Alckmin admite que já existe rodízio de água

Alckmin admite que já existe rodízio de água

0

Na segunda-feira, 4, em Osasco, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) falou sobre a crise no abastecimento de água e defendeu a gestão da Sabesp. Segundo ele, o abastecimento está garantido até o próximo período de chuvas. Alckmin admitiu, no entanto, que há um rodízio em andamento. “Já fizemos a explicação mostrando as medidas que a Sabesp vem tomando, que equivalem a um rodízio de 36h por 72h, sem prejudicar a população. Isso foi obtido transferindo regiões inteiras que eram abastecidas pelo Cantareira para outros sistemas, especialmente o Guarapiranga, Rio Grande, Rio Claro e Tietê”, afirmou.

publicidade

MPF recomendou o racionamento 

O governador voltou a dizer que o abastecimento será assegurado. “Temos um cronograma delineado para assegurar água até o período das chuva novamente. Estamos preparados para a seca”, disse. Na semana passada, o Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo recomendou ao governo do estado e à Sabesp que apresentem projetos para a implementação do racionamento de água nas regiões atendidas pelo Sistema Cantareira, para evitar um colapso do sistema. “O MPF não descarta a adoção de medidas judiciais caso o governo não atenda à medida”, informou o órgão em nota divulgada à imprensa.

Com atraso, centro oncológico será  inaugurado sem radioterapia

publicidade

Alckmin esteve em Osasco nesta segunda-feira, 4, para fazer uma “visita técnica” à unidade do Instituto do Câncer (Icesp) na Vila Yara, que vai ser inaugurada oficialmente dia 11. Como é candidato à reeleição, o governador não pode participar de inaugurações, mas a lei permite que faça vistorias em obras, sem a presença de militantes e materiais de campanha.

A unidade do Icesp em Osasco vai operar num primeiro momento somente quimioterapia. Para realizar procedimentos de radioterapia é preciso um equipamento chamado acelerador linear, que, segundo Alckmin, vai chegar “ainda esse ano”. Esta é a primeira vez que o Icesp terá uma unidade fora de sua sede na Capital. “Mais de 10% dos pacientes do Icesp são de Osasco e região e vão passar a ser atendidos na própria cidade”, explicou o governador.

publicidade

O deputado estadual Marcos Martins (PT), que liderou desde 2009 o movimento pela instalação do centro oncológico em Osasco, alertava sobre a falta do equipamento necessário para a radioterapia. Martins visitou o local dia 28 e falou sobre o assunto. “Sem este equipamento, que é importado, não será possível atender os pacientes no prazo estabelecido pelo governo”, reclamou.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBarueri apresenta Plano Municipal de Habitação
Próximo artigoVisão na Rede