Parlamentares como Lúcia da Saúde, Ribamar Silva (esq.) e Ni da Pizzaria (dir.) começaram mandato vistoriando unidades de saúde / Foto: Reprodução

Leandro Conceição

publicidade

Além do déficit de médicos na rede, que segundo o prefeito é de cerca de 300 profissionais, a gestão de Rogério Lins (PTN) começa com o desafio de pôr fim ao “jeitinho” de médicos da rede municipal de Osasco. Vereadores denunciam que muitos profissionais, com auxílio uns dos outros, fazem turnos menores do que o contratado pelo município.

Os parlamentares focam o início da nova legislatura em vistorias a unidades de saúde, onde têm encontrado médicos fora do trabalho durante o horário de expediente na rede municipal.

publicidade

“Eles [os médicos] combinavam entre eles. Tinham de trabalhar 12 horas e exerciam a função durante seis horas só”, explica Ni da Pizzaria (PTN).

“Eles fazem um combinado entre eles. O plantão é de 12 horas e, se são quatro médicos, vêm dois, ficam seis horas, e os outros dois vêm depois e eles se revezam”, exemplifica. “Já visitei cinco unidades de saúde e em todas tinha esse tipo de irregularidade”.

publicidade

No domingo, 22, Ribamar Silva (PRP) denunciou que no Pronto Socorro do Jardim Helena Maria, de cinco médicos que deveriam estar de plantão, “apenas três estavam presentes, sendo um realizando atendimento e outros descansando”.

Ele vistoriou a unidade acompanhado da também vereadora Lúcia da Saúde (PSDC). Outro que tem vistoriado a rede de saúde é Ralfi Silva (PTN).

“Jogo de cintura”

Apesar do flagra de médicos utilizando o “jeitinho” para trabalhar menos do que o contratado, a Secretaria Municipal de Saúde tenta solucionar o problema sem bater de frente com a categoria. Isso porque demissões piorariam ainda mais o déficit da rede.

“O problema é que, se for demitir todos esses médicos, como vai funcionar? Médico não é fácil de contratar. Então, precisa ter um jogo de cintura, chamar os médicos e mostrar para eles que têm de ter o comprometimento com a cidade”, analisa Ni da Pizzaria.

“Se chega e simplesmente demite os médicos, como fica a cidade? Tem que ter jogo de cintura”.

O secretário municipal de Saúde, José Carlos Vido, deve realizar reuniões com médicos e chefes de unidades de saúde pelo fim do “jeitinho”.

Prefeitura convoca médicos 

O prefeito Rogério Lins (PTN) havia anunciado a convocação urgente de 140 médicos para reduzir o déficit de profissionais na rede. Destes, 122 plantonistas aprovados em concurso público realizado na gestão anterior foram convocados para entrevistas na terça, 24, e quinta, 26. Os aprovados foram encaminhados para exame médico pré-admissional.

A Secretaria de Saúde planeja lançar um concurso público para contratar cerca de 300 médicos.

Outra ação da administração municipal anunciada na Saúde é romper o contrato com o laboratório Biofast devido à grande quantidade de reclamações contra a empresa, segundo Lins.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui