Compartilhar

No sábado, 4, uma equipe com cerca de 100 agentes de saúde da prefeitura de Osasco percorreu as residências do Rochdale orientando a população sobre os riscos de deixar água parada e informando sobre os procedimentos necessários para manter as casas livres do mosquito.

Dados da Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo mostram que 90% dos focos estão nas residências, mais precisamente nos vasos de planta, vasos sanitários, piscinas de crianças, potes vazios e até tampinhas de garrafas.

A única ação efetiva capaz de evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e agora febre do mayaro é fazer uma varredura em casa, afirma a prefeitura de Osasco.

Publicidade

O grupo de combate ao Aedes aegypti em Osasco trabalha em conjunto com a Secretaria de Obras, realizando capinagem e roçagem de áreas verdes enquanto um caminhão percorre as ruas recolhendo o material descartado para evitar o acúmulo de entulho.

A ação, que já passou pelo Santa Maria, Palmares, Veloso, Cipava II, Munhoz Jr. e Novo Osasco, acontece todos os sábados, e vai até o último final de semana de abril.

Combata o mosquito: 

Atitudes simples ajudam a eliminar os criadouros do mosquito. Entre elas, deixar a caixa d’água bem fechada e realizar a limpeza regularmente; descartar o pneu usado em um posto de coleta; evitar a utilização de pratinhos em vasos de planta ou colocar areia nos que forem mantidos, além de deixar o material para reciclagem mantido em saco fechado e local aberto.

Comentários

Faça seu comentário