Aluno detido com arma falsa em escola em Jandira teria dito que...

Aluno detido com arma falsa em escola em Jandira teria dito que estava com “vontade de matar os professores”

2
Compartilhar
Ruan, de 19 anos, disse que andava com a arma falsa por estar sendo ameaçado pelo marido de uma estudante / Foto: Reprodução/Record TV

Um dia após o massacre em Suzano, na noite desta quinta-feira (14), um estudante foi detido após ameaçar professores e colegas com um simulacro de arma de fogo na Escola Estadual “Professora Josepha Pinto Chiavelli”, no Centro de Jandira.

Publicidade

Segundo a polícia, duas alunas perceberam que Ruan Rodrigues Cirilo, de 19 anos, havia chegado a à escola com uma arma na cintura. Assustadas, elas avisaram uma inspetora.

A funcionária foi conversar com Ruan. Sem saber que a inspetora desconfiava que ele estava armado, o estudante a questionou se haveria todas as aulas. No meio da conversa, de acordo com a polícia, Ruan teria dito que estava com “vontade de matar todos os professores”.

A direção então chamou a polícia. Quando os PMs chegaram e revistaram o estudante, descobriram que a arma era falsa. Ele não confirmou ter feito ameaças e disse que andava com o simulacro para se proteger após ter sido ameaçado pelo marido de uma aluna.

Ruan, que é aluno do supletivo, foi detido e levado à Delegacia de Jandira. Ele acabou liberado após assinar um termo circunstanciado de ameaça.

Publicidade

* Com informações da Record TV (vídeo abaixo)

Estudante ameaça cometer atentado em escola de Manaus

Agência Brasil

Um dia após a tragédia em uma escola estadual do município de Suzano (SP), estudantes do Instituto de Educação de Amazonas (IEA), em Manaus (AM), viveram momentos de tensão na manhã de hoje (14), quando dois alunos, um de 16 anos e outro de 17 anos, fizeram ameaças por meio de mensagens no aplicativo Whatsapp.

Publicidade

Segundo informações da Polícia Civil, eles foram denunciados por volta das 9h40 por pais e gestores da escola. O estudante de 17 anos foi levado por policiais militares à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais acompanhado do gestor e do pedagogo da instituição. Ele prestou depoimento e assinou um Boletim Circunstanciado de Ocorrência por ato infracional análogo ao crime de ameaça.

Um adolescente vítima das ameaças foi ouvido pela polícia. Ao término dos trâmites cabíveis, os procedimentos serão encaminhados à Vara do Juizado Infracional da Infância e da Juventude.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) ressaltou que, mesmo diante das ameaças, nenhum ato foi concretizado e não houve registro de agressões nas dependências do IEA. “O fato é classificado isolado, ocorrido de forma atípica”, afirma.

A Secretaria informou ainda que, no próximo sábado (16), vai fazer uma reunião com gestores e professores das escolas para realinhar medidas de segurança, tendo como foco reforçar as orientações para todo o corpo escolar, incluindo os agentes de portaria. “Além disso, a Seduc-AM tem reforçado a necessidade de contato direto com as Companhias Interativas Comunitárias (Cicoms), que dão suporte no atendimento e presença dos policiais na área externa da escola”.

Compartilhar


Comentários