Alunos ocupam escola no Km 18 contra “reorganização” de Alckmin

1

 

publicidade
Escola Heloísa de Assumpção foi ocupada por cerca de 20 alunos / Foto: Reprodução/facebook.com/tlivre
Escola Heloísa de Assumpção foi ocupada por cerca de 20 alunos / Foto: Reprodução/facebook.com/tlivre

Na tarde desta quinta-feira, 12, um grupo de estudantes ocupou a escola estadual Heloísa de Assumpção, no Km 18, em Osasco, para protestar contra a “reorganização” que o governo do estado, comandado por Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou para a área do ensino.
Cerca de 20 alunos continuavam acampados no pátio da escola Heloísa de Assumpção dispostos a passar a noite no local nesta quinta-feira, 12, e prometiam manter a mobilização nesta sexta. A ocupação não deve impedir que as aulas ocorram. A polícia acompanhava o ato com viaturas na porta da escola na noite de quinta.
As mudanças do governo paulista no ensino vão levar ao fechamento de duas escolas em Osasco (Antonio Paiva de Sampaio e Guilherme de Oliveira Gomes), 94 em todo o estado. Além disso, em todo o estado, 311 mil alunos terão de mudar de escola e 1,4 milhão serão diretamente impactados.
Até a noite desta quinta, 12, eram pelo menos cinco escolas estaduais ocupadas por alunos em protesto contra a “reorganização” de Alckmin. As ocupações começaram na escola estadual Fernão Dias Paes, em Pinheiros, São Paulo, desde o início da semana. A mobilização teve registros de manifestantes agredidos por policiais.
6-Escolas-reproduçãoReintegração
Nesta quinta-feira, 12, o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou reintegração de posse na escola Fernão Dias Paes. Os alunos têm até esta sexta-feira para deixar o colégio. “Preocupa-me a notícia de que o governo estadual pediu à Justiça a reintegração de posse. Isto significa que a Polícia Militar pode desocupar o local, utilizando inclusive a força física e outros meios”, afirmou a presidente do Sindicato dos Professores (Apeoesp), Maria Izabel Noronha.

“Em vez de diálogo, governo Alckmin manda policiais”

publicidade

“Os alunos protestam contra a reorganização da rede. Em vez de diálogo, o governo envia policiais. Em vez de procurar entender as razões dos estudantes, professores e funcionários e rever seus planos, mostra-se intransigente e vai levar a ferro e fogo a tal reorganização adiante”, criticou a presidente da Apeoesp, Maria Izabel Noronha.
A reorganização vai separar a maioria das escolas em unidades de ensino fundamental 1, para crianças do 1º ao 5º ano; ensino fundamental 2, do 6º ao 9º ano; e ensino médio. A Secretaria de Estado da Educação afirma que neste sábado haverão encontros para explicar a reorganização.

publicidade

Comentários

1 COMENTÁRIO

  1. Os estudantes e os pais estão sendo manipulados pelas mentiras que a Apeoesp -a serviço do PT- está espalhando. E pelo PCdoB, que dirige a Upes. É ação partidária. Estão fazendo terrorismo com pais e alunos dizendo que as escolas serão fechadas, quando já foi explicado que as unidades que estiverem ociosas vão abrigar novas creches, Etecs e Fatecs, que também são escolas. As escolas com apenas um ciclo vai melhorar ainda mais a educação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorWedding Party no Blue Tree Premium Alphaville
Próximo artigoAnhanguera tem feira de empregos