Após dar nota 4 para Bolsonaro, Frota perde o comando do PSL...

Após dar nota 4 para Bolsonaro, Frota perde o comando do PSL em Cotia

1
Compartilhar
alexandre frota cotia

O deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) e o governo de Jair Bolsonaro (PSL) estão em rota de colisão. Após ter dado nota quatro para o governo Bolsonaro em uma entrevista, o parlamentar perdeu o comando do partido em Cotia, cidade onde mora.

Então, para “mandar um recado” ao governo, Frota se absteve no segundo turno da votação da reforma da Previdência, nesta terça-feira (6).

“Ao chegar na Câmara ontem depois de passar cinco horas na casa de Rodrigo Maia construindo o mapa de votos, Frota foi informado pelo presidente (do PSL) Luciano Bivar e pelo delegado Waldir que Bolsonaro solicitou que Frota fosse retirado da vice liderança do PSL e da coordenação da tributária, (para onde havia sido) convidado antes por Bivar pelo resultado na coordenação da Previdência. Frota também perdeu o diretório de Cotia, sua cidade, e mais dois. A crise se instalou depois que Frota deu (nota) quatro para o Bolsonaro como presidente e disse estar decepcionado”, relatou o deputado à revista Época, falando de si mesmo na terceira pessoa.

Publicidade

“[O governo] não precisava do meu voto nesse momento”, emendou.

Antes, ele havia entrado em atrito com a deputada federal Carla Zambelli, que quer sua expulsão do PSL. “Ele está tendo uma postura reiterada, de crítica [ao governo Bolsonaro] sem embasamento factual”, criticou a parlamentar.

Publicidade

Ela reclama ainda da aproximação de Frota com João Doria (PSDB), possível adversário de Bolsonaro na briga pela presidência em 2022. “Ele declarou apoio público ao Doria. Acho que o lugar dele é no PSDB, e não no PSL. Você não pode ficar com uma pessoa que está declarando publicamente que vai trabalhar nos próximos anos por outro presidente”.

Em, resposta, Frota declarou que Carla Zambelli é o “Louro José da vez” e “não manda nada”.

Na entrevista que acirrou os ânimos dentro do PSL, Frota declarou, na rádio Bandeiras, que dava nota “quatro, sem chorinho” ao governo Bolsonaro.

“O dia em que nós não tivemos problema foi o dia em que o Twitter saiu do ar e em que ele [Bolsonaro] foi ao dentista e ficou dois dias sem poder falar. Ficamos tranquilos e não tivemos que consertar nada na Câmara”, completou.

“Deixei bem claro que não seria fantoche na mão de governo algum”, diz Frota

Nas redes sociais, Alexandre Frota justificou as críticas ao governo: “Quando entrei deixei bem claro que não seria fantoche na mão de governo algum. Continuo apoiando meu presidente e quero que ele tenha muito sucesso, afinal a batalha foi longa pra ele chegar onde chegou! Mas também não vou deixar de criticar quando eu achar errado”.

Compartilhar

Comentários