Após reintegração, área terá projeto habitacional do programa Minha Casa, Minha Vida para 600 famílias

1
Ex-moradores vão receber Bolsa Aluguel, segundo Prefeitura / Foto: Filipe Nunes

Ex-moradores vão receber Bolsa Aluguel, segundo Prefeitura / Foto: Filipe Nunes
Ex-moradores vão receber Bolsa Aluguel, segundo Prefeitura / Foto: Filipe Nunes

publicidade

Esta semana foi finalizada a reintegração de posse de uma área pública na avenida das Margaridas, em Quitaúna, Osasco, para a implantação de um projeto habitacional para famílias de baixa renda.
De acordo com a Prefeitura, 39 famílias foram removidas pacificamente do terreno para a construção de 600 unidades do programa Minha Casa, Minha Vida, por meio de convênio entre o governo federal e a administração municipal.

A maioria dos antigos moradores da área já estavam cadastrados na administração municipal e foram encaminhados ao Bolsa Aluguel. Eles também estão entre os beneficiados do projeto. “Morei aqui durante 12 anos, espero voltar através do projeto habitacional. Aluguei uma casa pelo Bolsa Aluguel e pretendo voltar logo. Será um lugar muito bom para se viver”, disse Anita Cerqueira da Silva.
A área pública com cerca de 150 mil metros quadrados foi ocupada e irregularmente por moradias e cocheiras, proibidas no perímetro urbano do município.

publicidade

As 600 unidades construídas no local por meio do Minha Casa, Minha Vida serão destinadas a famílias com renda até R$ 1,6 mil. A área também receberá uma UBS, creche, escola e área de esporte, entre outros itens, de acordo com a administração municipal.

“O projeto deverá oferecer toda a infraestrutura às famílias. Será um novo bairro em Osasco, muito bem planejado”, declarou o secretário municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Sérgio Gonçalves. A previsão de entrega é de até 24 meses após o início das obras.

publicidade

Comentários