Reduzir, reutilizar e reciclar

0

Valmir Prascidelli (PT) - vice-prefeito de Osasco
Valmir Prascidelli (PT) – vice-prefeito de Osasco

publicidade

Criar ações para promover o desenvolvimento sustentável deveria ser uma preocupação constante do poder público em todas as esferas. Reduzir, reutilizar e reciclar são termos bem conhecidos atualmente na busca de uma relação equilibrada entre a sociedade e meio ambiente.

Ainda é necessário um grande esforço para que isso seja colocado em prática, no entanto existem diversas iniciativas que promovem a reciclagem, educação ambiental e, consequentemente, a geração de renda. Temos acompanhado algumas delas.

publicidade

Recentemente  visitei a Cooperativa de Reciclagem Vira Lata, localizada na região do Butantã, quando tive a oportunidade de, mais uma vez, conversar com os catadores e rever de perto o importante trabalho realizado.

Além da geração de renda, o ingresso dos catadores na cooperativa proporcionou a inclusão social e dignidade para centenas de pessoas. O trabalho de entidades como a Cooperativa Vira Lata que integra a Rede Paulista de Comercialização Solidária de Materiais Recicláveis e que reúne diversas cooperativas da capital e grande São Paulo são exemplos de ações positivas em prol da sustentabilidade ambiental.

publicidade

Muita gente não sabe, mas, para cada tonelada de papel reciclado evita-se o corte de 20 árvores, além de economizar energia elétrica, água e energia.

Entre 200 e 500 anos é o tempo que o plástico e o metal demoram a decompor. Esse fato por si só seria suficiente para entendermos a importância da reciclagem para o meio ambiente e o imprescindível trabalho dos catadores que contribuem para transformar lixo em matéria prima evitando-se a escassez dos recursos naturais. E no caso do plástico, o petróleo é a matéria-prima fundamental para a sua produção. Incentivar a reciclagem do plástico significa economizar petróleo.

Cada tonelada de vidro reciclado permite a economia de cerca de 1300 kg de areia, diminuindo-se a poluição atmosférica e hídrica.

Ao reciclar pilhas contribuímos para diminuir o impacto junto ao meio ambiente e a saúde com a contaminação do solo por elementos como, por exemplo, o mercúrio e o cádmio. Quando vereador fui autor da lei na. 4.380/2009 que aborda a reciclagem de pilhas e a logística reversa. A lei dispõe sobre a instalação de receptáculo de pilhas e baterias em determinados estabelecimentos comerciais, incentivando a população a devolver o produto usado e os comerciantes a retorná-las ao fabricante.

Cada vez mais a sociedade se mobiliza para a questão ambiental e a importância da reciclagem. Incentivar a educação ambiental, coleta seletiva e reeducação de atitudes da comunidade em relação à questão do lixo é um dever do poder público.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA gota d’água de Alckmin
Próximo artigoSociedade em visão