Artigo: Justiça e inclusão social

0

*Mônica Veloso é secretária de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão de Osasco e vice-presidente da CNTM
*Mônica Veloso é secretária de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão de Osasco e vice-presidente da CNTM

publicidade

Mônica Veloso*

As trabalhadoras e as dirigentes metalúrgicas da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) apoiam e participam das atividades do Março Mulher, idealizadas pela Força Sindical, juntamente com outras entidades, para homenagear todas as companheiras neste mês em que é comemorado o Dia Internacional da Mulher (8 de Março).

publicidade

Momento oportuno para lembrarmos as companheiras que ao longo da história da humanidade lutaram pelos direitos e as que atualmente continuam lutando.

Vale destacar que participamos da 7ª Marcha da Classe Trabalhadora em Brasília, no dia 6 de março, com o tema “Desenvolvimento, Cidadania e Valorização do Trabalho”, encaminhando entre vários itens uma crucial reivindicação: igualdade de oportunidades entre homens e mulheres. Não há justificativa para as mulheres ganharem menos que os homens.

publicidade

O Brasil precisa continuar no caminho do desenvolvimento, mas não basta termos crescimento econômico. É fundamental termos justiça e isto é sinônimo de inclusão social da mulher no mercado de trabalho e na sociedade brasileira, com valorização de sua renda, empoderamento político e efetiva participação das mulheres nos movimentos sindical, social, artístico, cultural, esportivo, político e partidário.

Lutamos pelo fim do Fator Previdenciário, que é um mecanismo que para a mulher traz uma redução maior das aposentadorias. Defendemos a obrigatoriedade da licença maternidade de 180 dias. Exigimos também medidas que permitam acabar com o assédio moral e sexual, o tráfico e todas as formas de violência contra as mulheres, adolescentes e meninas.

Junto disto, é preciso que os homens compartilhem com as mulheres a responsabilidade de cuidar da família e do lar, fator que ainda pesa e impede a decisão da participação feminina em suas comunidades, municípios, estados e País.

É preciso garantir às mulheres as condições de igualdade. Só assim vamos construir o caminho sólido no sentido do desenvolvimento sustentável que tanto almejamos.

Neste 8 de março, a diretoria da CNTM reafirma seu compromisso com as trabalhadoras metalúrgicas na luta pela igualdade e deseja a todos os sindicatos e suas dirigentes sucesso nas atividades deste Março Mulher!”.

 

Comentários