As feiras de economia solidária em Osasco

0

Mônica Veloso é diretora do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região e secretária de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão de Osasco

publicidade

 

Esta semana realizamos mais uma feira de economia solidária em nossa cidade. Foi a décima terceira oportunidade, onde dezenas de empreendedores apresentaram seus negócios e seu jeito diferente de desenvolver a economia.
O Largo de Osasco, tradicional ponto de passagem, ficou ainda mais movimentado e os moradores puderam ter mais uma oportunidade de comprar produtos e também evidenciaram a dimensão do quanto é importante essa iniciativa.

publicidade

A economia solidária é uma aposta de gente que tem muita esperança e que acredita na gestão democrática, na posse coletiva dos meios de produção e na distribuição igualitária dos resultados econômicos.
Há quem diga que essa história é um sonho.
Eu digo sempre que a economia solidária é muito mais. Ela é também uma utopia, um sopro de uma cultura inovadora daqueles que querem construir um novo mundo. Um mundo onde a economia possa ir para além dos círculos tradicionais do mercado e seus perversos processos de concentração.

Nós sempre nos lembraremos dos anos de 1970, tempos em que se afirmava que “era preciso esperar o bolo crescer para depois dividir”.
Naquele momento, o bolo cresceu e a maioria da sociedade simplesmente ficou esquecida e marginalizada, à própria sorte.
Dessa maneira, muitos foram aqueles que, como nós, aprenderam que é preciso ser criativo e inventivo. E mais: que toda conquista precisa de dedicação e trabalho. Aprendemos ao longo da vida e das lutas que é possível e necessário reescrever a história.

publicidade

Em cada feira da economia solidária essa perspectiva de um caminho novo se apresenta, e fico profundamente realizada, afinal de contas para nós, trabalhadores, o desenvolvimento só acontece efetivamente na medida em que existe o necessário processo de distribuição de renda.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSociedade em visão
Próximo artigoSintrasp pressiona em Brasília