Ato em Osasco tem quatro pessoas detidas

Detidos portavam material para furar pneus

0
Manifestantes interditam avenida dos Autonomistas contra reformas trabalhista e da Previdência

A manifestação da Greve Geral em Osasco, contrária às reformas da Previdência e trabalhista propostas pelo governo Temer, teve quatro pessoas detidas na manhã desta sexta-feira, 28, segundo a Polícia Militar.

O ato teve início no Largo de Osasco, em frente à estação da CPTM, por volta das 8h da manhã. A movimentação contou com cerca de mil pessoas, representantes de vários setores da sociedade civil.

De acordo com informações da PM, os quatro manifestantes conduzidos à delegacia portavam os chamados “miguelitos”, uma espécie de cruz com pregos entrelaçados usados geralmente para furar pneus de carros. O nome dessas pessoas não foi informado.

Publicidade

Segundo os organizadores do ato, essas pessoas não representam a maioria nem a intenção dos manifestantes.

Manifestante agredido por seguranças

Durante o percurso, muitas lojas que estavam abertas baixaram as portas. Em uma delas, os seguranças chegaram a agredir os manifestantes que passavam pela rua Antonio Agu.

O assessor nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Nelson Canesin foi agredido por seguranças de uma loja quando foi colar um cartaz na parede. Ele foi encaminhado a um hospital da região.

“Eles bateram nele com um fio de ferro, machucaram as mãos e pernas, agora ele está no hospital vendo se aconteceu algo grave”, contou Taffarel, coordenador da subsede Osasco da CUT. A queixa foi feita no 5º Distrito Policial de Osasco.

Comentários