Atos anti-impeachment acontecem em 25 estados

0

Na quinta-feira, 20, pelo menos 25 estados brasileiros tiveram manifestações contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), em defesa da democracia, das conquistas sociais e por uma nova agenda para o Brasil. Os atos foram organizados pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Nacional dos Estudantes (UNE), Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), outras entidades sindicais e movimentos sociais. Foi um contraponto à marcha de 16 de agosto, que foi norteada pelos slogan “Fora Dilma” e a defesa da volta do regime militar.

publicidade

A organização esperava 50 mil pessoas mas, segundo a Polícia Militar, em São Paulo, o ato reuniu mais de 60 mil. Os manifestantes pediram a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), denunciado ao STF por suposto envolvimento naLava Jato. Apesar de defenderem a permanência de Dilma na presidência, fizeram críticas às medidas tomadas como o ajuste fiscal do ministro da Fazenda Joaquim Levy e à Agenda Brasil, pacote de reformas econômicas proposto pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB).

Para Rosina Conceição, da União Brasileira de Mulheres, o ato significou “a ampliação de um diálogo melhor com a população, que ainda está perdida, confusa, por ter a versão só de um lado, e muitas vezes distorcida”.
Durante o ato, as vítimas da chacina de Osasco e região foram homenageadas com um minuto de aplausos ininterruptos.

publicidade

Comentários

publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPMDB de Osasco
Próximo artigoPolíticos de Osasco pedem esclarecimento da chacina