Bairros afastados do Centro poderão ganhar Zona Azul

Bairros afastados do Centro poderão ganhar Zona Azul

0
Compartilhar

Sistema distribui anualmente 1 milhão de tickets, diz empresa responsável pelo serviço / Foto: Eduardo Metroviche
Sistema distribui anualmente 1 milhão de tickets, diz empresa responsável pelo serviço / Foto: Eduardo Metroviche

William Galvão

O sistema de estacionamento rotativo pago de Osasco, conhecido por Zona Azul, poderá ser ampliado para outros bairros, além do Centro. Os bairros onde os parquímetros serão instalados e o prazo ainda não foram definidos.
A medida seria uma forma de democratizar vagas em locais onde estacionamentos ainda cobram mais de R$ 5 por hora. A informação é do novo secretário de Transportes e Mobilidade Urbana, João Góis.
Desde a sua implantação, em 2007, a Zona Azul divide opiniões. Alguns motoristas reclamam de ter de pagar para estacionar na rua e de parquímetros quebrados. Entre os elogios, destaca-se a maior segurança em deixar o carro pelas ruas do centro e o baixo custo para o motorista, que fez com que os estacionamentos também diminuíssem seus preços.

Medida teria objetivo de democratizar vagas

Enquanto a Zona Azul cobra R$1,60 a hora, um estacionamento fechado no centro cobra R$ 3. Já em bairros como Vila Yara e Jardim das Flores, por exemplo, os preços são a partir de R$ 5.
A necessidade de ampliar a Zona Azul também se deve ao fato de a população não estar mais concentrada só no Centro. “Se você for à avenida Antônio C. Costa ou na João de Andrade ou a qualquer bairro há a necessidade de se democratizar as vagas”, explica.

Parquímetros
De acordo com dados de 2009 da Auto Parque, empresa responsável pelo serviço, a Zona Azul distribui anualmente cerca de 1 milhão de tickets entre os parquímetros. Nem a empresa nem a Secretaria de Transportes divulgaram dados recentes.
As tarifas cobradas pela Zona Azul são de R$ 0,80 (meia hora), R$ 1,60 (1 hora), R$ 2,40 (1h30) e R$ 3,20 (2 horas). O sistema aceita pagamentos em moedas e também com os cartões que podem ser recarregados nos próprios parquímetros.

Compartilhar

Comentários