Bancos apresentam proposta que traz perda real a bancários

0

_JAI7881a_materia
Representantes do Sindicato dos Bancários e da Fenaban em negociação. Foto: Jailton Garcia/Contraf-CUT

publicidade

A federação dos bancos (Fenaban) apresentou ao Comando Nacional dos Bancários, na manhã da segunda-feira 29, proposta de reajuste salarial de 6,5% mais abono de R$ 3 mil. As regras para a PLR continuariam as mesmas de 2015 e o vale-cultura seria extinto a partir de dezembro, se não for renovado pelo governo federal.

O Comando Nacional dos Bancários indica rejeição da proposta que não atende reivindicações dos bancários de aumento real, nem PLR, vales e auxílio-creche maiores, e nem proteção aos empregos. E cobrou resposta para outros pontos como licença-paternidade de 20 dias, vale-refeição durante a licença-maternidade, fim da desigualdade salarial entre homens e mulheres, melhoria nas condições de trabalho, mais saúde e segurança.

publicidade

“Apresentamos toda nossa pauta, passamos a terceira rodada, no dia 24, ouvindo e debatendo os argumentos dos bancos. Hoje deveriam ter trazido para a mesa proposta global, mas só trouxeram a econômica e ainda muito baixa. Cobramos e os bancos voltam para mesa de negociação nesta terça-feira, a partir das 14h, para responder pontos omitidos nessa proposta”, informa a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira, uma das coordenadoras do Comando.

“Não vamos aceitar enrolação. Uma assembleia será realizada na quinta-feira dia 1º. Se não apresentarem uma proposta digna dos bancários pode haver greve a partir de 6 de setembro”, avisa a dirigente.

publicidade

Perda real

Os 6,5% da proposta feita pelos bancos representam apenas 68% da inflação (INPC projetado em 9,57%). E, ainda, querem trazer de volta a política de abono que tanto prejudicou a categoria nos anos 1990. “Não podemos aceitar perdas nos salários, na PLR, retrocessos e desemprego entre os trabalhadores que trabalham para o setor mais lucrativo do Brasil”, reforça a secretária-geral do Sindicato, Ivone Silva.

Comentários