Barueri fiscaliza ambulantes irregulares e oferece opções de reinserção no mercado formal

0
Fiscalização começa com notificação e caso não seja atendida, é realizada a apreensão com apoio da Guarda Municipal / Foto: Renato Vereda
Fiscalização começa com notificação e caso não seja atendida, é realizada a apreensão com apoio da Guarda Municipal / Foto: Renato Vereda

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, está intensificando a fiscalização do comércio ilegal na cidade e procurando alternativas para a reinserção destas pessoas no mercado formal de trabalho.

publicidade

Na legislação municipal, o comércio ambulante só pode ser exercido na cidade, mediante licenciamento e pagamento das taxas, por moradores de Barueri. “A maioria é de fora, vem de outras cidades.A gente tem que atuar, não tem jeito. Em Barueri cresceu muito a informalidade e os camelôs”, informou Joaldo Rodrigues – o Magoo, secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho.

A fiscalização é feita com a notificação do ambulante. Quando a notificação não é atendida, a apreensão é realizada com apoio da Guarda Municipal.

publicidade

Para Magoo, o aumento da informalidade no comércio é um claro sintoma da crise econômica nacional. “Não é liberando os ambulantes que vamos solucionar o problema. Mas temos que aproveitar essa disposição que eles têm e oferecer todos os canais de reinserção ao mercado de trabalho e à cadeia produtiva”, explicou Magoo.

Os trabalhadores podem ser encaminhados para a Casa do Trabalhador, Posto de Atendimento do Sebrae-Barueri e o Banco do Povo, que funcionam no Ganha Tempo, além dos cursos de requalificação profissional.”Podemos encaminhar esse ambulante para um treinamento. Vamos capacitar essa pessoa que está explorando o comércio ilegal e fornecer as ferramentas para ele virar um empreendedor, porque disposição ele tem. Ele está tentando trabalhar”, afirmou.

publicidade

Outra necessidade de se fiscalizar o comércio informal é o fato de que nem sempre os produtos vendidos atendem às exigências sanitárias. Por isso, os produtos perecíveis apreendidos são descartados e já os produtos alimentícios industrializados são doados para a Secretaria de Promoção Social.

 

 

Comentários