Brasil gera 101 mil postos de trabalho em agosto

0
Segundo o Ministério do Trabalho, resultado é o melhor dos últimos três meses; destaque foi o setor de serviços / Foto: Marcello Casal Jr/ABr

Segundo o Ministério do Trabalho, resultado é o melhor dos últimos três meses; destaque foi o setor de serviços / Foto: Marcello Casal Jr/ABr
Segundo o Ministério do Trabalho, resultado é o melhor dos últimos três meses; destaque foi o setor de serviços / Foto: Marcello Casal Jr/ABr

publicidade

O mês de agosto teve crescimento de 0,25% no emprego formal no Brasil, o que representa a geração de 101.425 novas vagas, resultado de um total de 1.748.818 admissões diante de 1.647.393 demissões registradas no mês anterior. Já em agosto de 2013, a criação de novos empregos foi de 162.160 vagas com carteira assinada. A informação é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
De acordo com o Ministério do Trabalho, o resultado é o melhor dos últimos três meses. O número de empregos gerados durante o ano está em 751.456, aumento de 1,85 %. Nos últimos 12 meses foram criados 698.475 postos de trabalho. Entre janeiro de 2011 e agosto de 2014, o número foi de 5.631.534 empregos.

Setor de serviços é destaque com 71.292 novos empregos

O resultado era esperado pelo governo federal, segundo o ministro do Trabalho, Manoel Dias. “Já tínhamos indicadores de que iríamos melhorar a partir deste mês. É o que os dados estão confirmando hoje, ao contrário do que tem sido especulado, principalmente pela imprensa”, afirmou.
Foram pesquisados oito setores de atividade econômica, seis deles apresentaram bom desempenho neste mês. O destaque foi o setor de serviços, que gerou 71.292 novos empregos. Na sequência aparecem o comércio (40.619) e construção (2.239). Na indústria da transformação houve declínio de 4.111 postos.

publicidade

Todos os ramos do setor de serviço apresentaram crescimento. No ensino foram mais 22.409 empregos; alojamento e alimentação (18.711); comércio e administração de imóveis (14.916); serviços médicos e odontológicos (11.023); transportes e comunicações (3.092); e instituições financeiras (1.141). (Com Agência Brasil)

publicidade
Comentários