Candidatos falam de propostas e cenário político em Santana de Parnaíba

0

IMG_0161Os 73.008 eleitores de Santana de Parnaíba voltam às urnas no dia 1º de dezembro para eleger novamente o prefeito e o vice. Seis chapas concorrem na eleição suplementar e a rápida campanha eleitoral já tomou as ruas da cidade.

publicidade

Leia entrevistas com os candidatos:

– Elvis diz que Peccioli deixou Prefeitura endividada

publicidade

– Peccioli diz que Elvis também é inelegível

– Candidato do PSOL critica “coronelismo”

publicidade

– Nunes quer ser a terceira via na eleição suplementar

– Ex-aliado de Peccioli faz voo solo pelo PSB

– Petista quer construir centro administrativo

O pleito de 2012 em Santana de Parnaíba foi anulado porque Antonio da Rocha Marmo Cezar (PSDB), o mais votado com 28.697 votos, teve seu registro de candidatura indeferido pela Ficha Limpa. Sua votação representou 51,62% dos votos válidos. Conforme a legislação eleitoral, quando essa nulidade atinge mais da metade dos votos de um município, nova eleição dever ser marcada.

O então presidente da Câmara Municipal de Santana de Parnaíba, Elvis Cezar (PSDB), que é filho do prefeito cassado, assumiu então a Prefeitura dia 20 de agosto. Agora ele é candidato a prefeito, já que a justiça eleitoral considera que seu pai deu causa à nova eleição e por isso não pode se candidatar novamente.

Marmo Cezar teve o registro de candidatura negado porque, quando presidente da Câmara Municipal no ano 2000, teria pago de forma irregular a despesa de vereadores que participaram de um congresso no Guarujá, litoral do estado.

O valor foi de R$ 5 mil e, mesmo tendo devolvido o dinheiro corrigido, o TSE ainda entendeu que houve improbidade. O acórdão do TSE publicado dia 2 de agosto, da relatora ministra Laurita Vaz, ressalta “impossibilidade de afastar o caráter doloso da conduta praticada pelo recorrido no exercício da Presidência da Câmara de Vereadores e a insanabilidade das irregularidades, pois foram realizadas despesas com refeições sem a demonstração do interesse público, que deve permear a ação do administrador, e dispêndios com participação de vereadores em congresso, com infração ao princípio da economicidade”.

A última campanha eleitoral em Santana de Parnaíba foi acirrada e marcou a derrota de um grupo político que estava no poder há mais de duas décadas. Marmo recebeu 28.697 votos, contra 25.991 de Peccioli, que tentava seu quarto mandato no município.

Pesquisa apontou vantagem de Elvis; Peccioli contesta

O Visão Oeste entrevistou os seis candidatos que disputam a nova eleição. O prefeito Elvis Cezar (PSDB); o ex-prefeito Silvinho Peccioli (DEM); Magno Mori (PSB); Nunes Ambiental (PMN); Ronaldo Almança (PSOL); e João Carlos (PT).

No último dia 12, o instituto MAS divulgou pesquisa eleitoral (contestada por Peccioli) que aponta boa vantagem de Elvis. O prefeito aparece com 56,2% das intenções de voto, contra 24,6% de Peccioli. Na sequência aparecem Nunes Ambiental (PMN) com 1,7%, Ronaldo Almança (PSOL) com 1,2%, João Carlos (PT) e Magno Mori (PSB) com 0%, não sendo nem citados pelos entrevistados. Quem respondeu nenhum e não sabe somam 16,2%.

Os índices de rejeição apontam Peccioli com 43,5%, contra 12,4% para Elvis. Magno Mori, Ronaldo Almança e João Carlos têm 3,7%, 3,5% e 3,5%, respectivamente.

O levantamento está registrado no Tribunal Regional Eleitoral/SP, protocolado como SP-01948/2012.

Comentários