Carlos Torres: arte, superação e fé

1

IMG_6037Leandro Conceição

publicidade

Um acidente com uma tábua com pregos há 30 anos transformou a vida do ex-carteiro Carlos Torres. Na ocasião, ele adquiriu tétano e teve de amputar a perna direita e parte da esquerda, além de ter sequelas nas mãos. Surgiu daí um dos principais pintores primitivistas da região, em uma trajetória de arte, superação e fé.

“Você tem sempre que dar a volta por cima”

“A deficiência está na cabeça de cada pessoa. Tudo é possível, só depende de a pessoa ter força de vontade e fé em Deus”, diz. Carlos Torres começou a pintar após o acidente, como terapia, e, há dez anos, incentivado pelo consagrado pintor primitivista Waldomiro de Deus, passou a levar sua arte mais a sério, conta.

publicidade

IMG_6046Tudo pode ser inspiração para as obras, feitas em um quartinho no apartamento de Torres, em Carapicuíba. “Dia desses assisti uma reportagem que mostrou uma moça que colocou muito silicone nos seios, no bumbum, e surgiu uma ideia de um quadro”, exemplifica. Ele define suas obras como “pinturas simples, sem frescuras”.

Como não consegue segurar, Torres trabalha com o pincel preso à mão pela esposa, Hosana, com quem é casado desde 1975 e tem três filhos, além de dois netos. “Família é tudo”.
Apesar de evangélico, o artista retrata em diversas pinturas personagens da Igreja Católica, como santos, o Papa Francisco e Madre Teresa de Calcutá. “Admiro muito a Igreja Católica”. Há também pinturas que retratam belas paisagens, animais, a torcida pelo Brasil e famosos, como Marilyn Monroe.

publicidade

Morador de Carapicuíba há cinco anos, o pernambucano Carlos Torres diz que Osasco, onde aportou em busca de oportunidades de emprego, no início da década de 1970, é sua cidade de coração.
O artista diz que sonha expor suas obras na Pinacoteca do estado e fazer exposições beneficentes.
Carlos Torres costuma expor seus quadros, que custam a partir de R$ 100, em eventos e shoppings da região, como o Osasco Plaza. Ele concilia a pintura com a administração de um carrinho de cachorro quente no calçadão de Osasco.

Saiba mais
www.carlostorres.art.br

Comentários