Centenas de pessoas já passaram pelo velório de Celso Giglio, no Teatro...

Centenas de pessoas já passaram pelo velório de Celso Giglio, no Teatro Municipal de Osasco

28
Compartilhar
Corpo de Celso Giglio é velado no Teatro Municipal de Osasco

O corpo do ex-prefeito e deputado estadual Celso Giglio (PSDB) é velado desde a manhã desta quarta-feira, 12, no Teatro Municipal de Osasco. Centenas de pessoas já passaram pelo local para dar o último adeus a um dos principais líderes políticos da história da cidade.

Publicidade

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), deve vir a Osasco participar do adeus a Celso Giglio (PSDB). O enterro será à tarde, no cemitério do Bela Vista.

O ex-prefeito morreu nesta terça-feira, 11, aos 76 anos. Ele estava internado há mais de um mês no Hospital Albert Einstein após sofrer um acidente doméstico.

Segundo pessoas próximas, ele chegou a esboçar uma reação, mas teve uma piora em seu estado de saúde nos últimos dias e não resistiu.

Carreira política vitoriosa e drama pessoal 

Celso Giglio era natural Campinas. Nasceu em 19 de fevereiro de 1941, filho de Antonio Giglio e de Maria Gatti Giglio. Por coincidência ou destino, fazia aniversário no mesmo dia em que a cidade onde fez carreira política celebra a emancipação. Foi casado com Glória Giglio, com quem teve cinco filhos e quatro netos.

Publicidade

Chegou a Osasco no início da década de 60. Médico, formado pela Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro, começou a trabalhar como médico concursado do antigo SAMDU (Serviço de Assistência Médica e Domiciliar de Urgência), e da Prefeitura de Osasco. Também passou pela superintendência da antiga FUSAM (Fundação de Saúde do Município de Osasco) e foi secretário de Saúde do município de 1977 a 1982.

Presidiu a Associação Paulista de Medicina – Regional Osasco, entre 1975 e 1977 e foi também presidente da FITO (Fundação Instituto Tecnológico de Osasco), entre 1977 e 1980.

A carreira política eletiva começou com a eleição a vereador em 1988, com a maior votação até então. Foi presidente da Câmara Municipal de Osasco, depois deputado estadual, prefeito por dois mandatos, deputado federal, Superintendente do IAMSPE e atualmente exercia seu terceiro mandato como Deputado Estadual.

Era um municipalista convicto, tendo ocupado a Presidência da Associação Paulista de Municípios – APM, por mais de dez anos. Defendia a necessidade de um pacto federativo mais justo e equilibrado, garantindo mais autonomia e poder de decisão aos municípios em diversas questões que ainda são da alçada do Estado e do Governo Federal.

Publicidade

Sua vida pessoal foi marcada por uma tragédia que comoveu toda a cidade de Osasco: a morte, num terrível acidente de carro, de sua esposa, Gloria Giglio, em 2013.

Dr. Celso conduzia o automóvel quando aconteceu, no Km 165 da Rodovia Castelo Branco. Depois de ficar internado por várias semanas, voltou ao trabalho e à vida política, mas a saúde nunca mais foi a mesma.

Compartilhar

Comentários