Circular expõe más condições do Fórum

1

Prédio na avenida Rui Barbosa, no Centro, é acanhado para a demanda do Fórum / Foto: Francysco Souza
Prédio na avenida Rui Barbosa, no Centro, é acanhado para a demanda do Fórum / Foto: Francysco Souza

publicidade

Fernando Augusto

Enquanto Carapicuíba não ganha um novo Fórum, os funcionários que trabalham no prédio atual sofrem com as más condições. A reportagem teve acesso a uma circular dirigida aos servidores do cartório e da central de mandados no dia 11 de junho, que relata a situação do banheiro do local.

publicidade

Devido a um entupimento ocasionado pela raiz de uma árvore, o banheiro ficou por um período interditado e a circular pede que os funcionários o utilizem apenas para “higienização bucal e para mictar”.
O escrivão diretor do Fórum, Jorge Sales, que assina a circular, explica que esse é só mais um problema estrutural do local. “O Fórum já não comporta mais a demanda, não tem espaço físico e estrutura para informática”, diz.
O presidente da Associação Paulista dos Técnicos Judiciários (Apatej), Mário José Mariano, o Marinho, diz que a associação denuncia há tempos as péssimas condições do Fórum. “Entendo que o diretor zela pelo bem público e tem feito o possível. Ele não tem culpa, tendo em vista que a situação de trabalho o levou a isso”.

Outro problema do Fórum é a localização, já que é cercado por uma área livre. Roubos e furtos têm ocorrido. “O grau de periculosidade é alto. O servidor é obrigado a estacionar o carro dentro da área livre, o que gera furtos. Já os juízes têm um estacionamento privativo com seguranças particulares”, denuncia Marinho.

publicidade

Solução?
Está marcada para dia 8 de agosto uma reunião com o desembargador Eduardo Cortez, do TJ-SP, quando a Apatej, a OAB e autoridades locais pretendem mostrar a situação do Fórum e buscar soluções.
A Prefeitura já disponibilizou um terreno para um novo Fórum, na região do Parque da Lagoa, mas ainda não há previsão de obras. Marinho disse ao Visão Oeste que o presidente do TJ-SP, Ivan Sartori, autorizou a procura de um prédio para locação. No entanto, o presidente da Apatej diz ser difícil achar um imóvel na região central que atenda à demanda.

Comentários