As ruas de Osasco estão temporariamente sem coleta de lixo, que está suspensa, após o aterro sanitário da cidade ter sido lacrado, nesta terça-feira, 18, pela Cetesb.

publicidade

“A empresa está trabalhando junto à prefeitura para normalizar o mais rápido possível”, afirmou um funcionário da EcoOsasco, responsável pelo serviço, que não quis se identificar, ao Visão Oeste. “A gente está aguardando informações da prefeitura para poder voltar a operar com a coleta”.

O aterro sanitário de Osasco foi fechado nesta terça, pela Companhia Ambiental do Estado (Cetesb), por falta de condições ambientais para armazenamento do lixo. O local recebia 800 toneladas por dia.

publicidade

O aterro tinha 26 anos e desde 2008 é administrado por uma parceria público privada, pela Eco Osasco. A área foi lacrada e nenhum caminhão pode entrar.

O secretário estadual do Meio Ambiente, Ricardo Salles, explicou os motivos para o fechamento do aterro: “Primeiro lugar, risco à saúde, disposição de aterro irregular compromete o lençol freático, o solo, mas nesse caso em especial, um risco ainda maior, que é o risco de desmoronamento desse aterro, do lixo que está aqui exposto, desmoronamento em cima dos barracos que deveriam ter sido retirados e não foram”, afirmou, à TV Globo.

publicidade

R$ 5 milhões por mês

A prefeitura diz que está tomando as medidas cabíveis para a reabertura do aterro. Uma delas pode ser a contratação de um aterro particular, que custaria cerca de R$ 5 milhões por mês ao município.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui