Com pressão, Câmara adia votação que pode anistiar caixa dois

0
Votação deve ocorrer na próxima terça-feira, 29 / Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em meio a protestos contra uma possível anistia a quem já praticou caixa 2, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), adiou, nesta quinta-feira, 24, a votação do projeto de lei que estabelece medidas contra a corrupção (PL 4.850/16). A votação deve ocorrer na próxima terça-feira, 29.

publicidade

A bancada do PSOL acusa os parlamentares de partidos da base governista de realizarem manobras para incluir a anistia a quem praticou caixa 2 no projeto que trata de medidas contra a corrupção.

“O pânico desses partidos é devido à confirmação da delação da Odebrecht. Os citados na operação Lava Jato não querem que a lista seja divulgada antes da aprovação do projeto ”, afirmou o líder do PSOL, deputado Ivan Valente. “Toda a copa e cozinha do Planalto está envolvida no esquema”.

publicidade

Em entrevista coletiva na manhã desta quinta, a bancada do PSOL afirmou que vai apresentar no plenário da Câmara requerimento para que as votações aconteçam nominalmente. Assim, a população saberá como cada parlamentar votou. “Incluir anistia ao caixa dois numa proposta contra a corrupção é uma das manobras mais escandalosas e contra o interesse público”, afirmou Ivan Valente.

Já Rodrigo Maia afirma que não há nenhuma movimentação para que o texto permita o perdão a quem praticou o caixa 2 antes da sanção da lei, caso seja aprovada. “Não há anistia de um crime que não existe. É só um jogo de palavras para desmoralizar o parlamento brasileiro”, disse Maia antes de anunciar o fim da sessão convocada para votar o projeto, nesta quinta, 24.

publicidade

Juízes criticam possibilidade de anistia
O juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, emitiu nesta quinta, 24, uma nota pública em que critica as possíveis articulações para anistiar o crime de caixa 2 no projeto que estabelece medidas contra a corrupção: “toda anistia é questionável, pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança”.

Responsável pelos processos em primeira instância da Operação Lava Jato disse sentir-se “obrigado a vir a público manifestar-se a respeito, considerando o possível impacto nos processos já julgados ou em curso”.

O presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Roberto Veloso, disse que a possível aprovação de anistia ao crime de caixa 2” revela imenso desprezo à população”.

Comentários