Contaminados na Osram podem ser indenizados

0
Trabalhadores foram contaminados na fábrica em Osasco

Trabalhadores foram contaminados na fábrica em Osasco
Trabalhadores foram contaminados na fábrica em Osasco

publicidade

Duas ações tramitam desde 2012 na Justiça do Trabalho contra a fabricante de lâmpadas Osram, que tem fábrica em Osasco, e poderão indenizar nos próximos meses ex-funcionários contaminados por mercúrio. Os atingidos devem se apresentar à Associação dos Expostos e Intoxicados por Mercúrio Metálico para ter direito a qualquer benefício.

MPT e Sindicato têm ações civis públicas ajuizadas

O Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região denuncia desde 1991 os perigos e consequências da exposição à substância, por meio do Ministério do Trabalho, além de publicações em jornais e livros. Duas ações civis públicas foram ajuizadas em 2012: uma apresentada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e outra pela Associação dos Expostos por Mercúrio.
A indenização pedida pelo MPT é de R$ 100 milhões por dano moral coletivo, além de proteção dos riscos que a substância pode causar a quem trabalha atualmente na empresa. Já a Associação quer indenizações individuais e assistência médica integral para seus sócios. De acordo com o diretor do Sindicato, Sertório Aparecido, que tem acompanhado as audiências de conciliação, “aqueles que foram expostos ao mercúrio, mas que não se apresentarem à Associação, não terão direito ao resultado das ações”.

publicidade

Na última audiência, ocorrida no dia 3, ficou definida a realização de uma força tarefa para encontrar o maior número de pessoas que têm problemas de saúde por conta de intoxicação por mercúrio.
Os trabalhadores e ex-funcionários da fábrica da Osram que quiserem outros esclarecimentos devem comparecer na Associação dos Expostos e Intoxicados por Mercúrio Metálico, na rua Dona Primitiva Vianco, 145, 1º andar, sala 22, das 10h às 16h, ou pedir informações no 3654-0809.

Mercurialismo
O mercúrio é um metal tóxico com poder de evaporação que pode ser absorvido pelo corpo humano. Nos anos 1980 e 1990, principalmente, os trabalhadores de empresas fabricantes de lâmpadas foram intoxicados pelo metal, e desde então sofrem com os sintomas do mercurialismo. Os sintomas da doença podem variar, mas os principais são de caráter neurológico e psiquiátrico. Isso porque o sistema nervoso central é o principal afetado, o que pode aumentar também as chances de depressão.
Sintomas comuns são insônia, esquecimento, dor de cabeça e muscular, labirintite, sangramento de gengiva com amolecimento dos dentes. Alucinações, tremores, demência, problemas nos rins e dificuldades de concentração também estão ente os sintomas.

publicidade

Comentários