Covid-19: Osasco, Itapevi e região negociam compra de vacinas da Pfizer

"Precisamos trabalhar em conjunto e vamos nos esforçar muito para viabilizar a vacina", diz prefeito de Itapevi

0
cioeste vacina pfizer
Primeira conversa do prefeito de Itapevi, Igor Soares (Podemos), com diretores da empresa, que tem fábrica em Itapevi, ocorreu em dezembro

O Consórcio Intermunicipal da Região Oeste (Cioeste), do qual fazem parte 11 cidades da região, entre as quais Osasco, Barueri, Carapicuíba, Cotia e Itapevi, negocia a compra de vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19.

publicidade

A vacina apresenta taxa de 94% de eficácia e 92% de redução do risco de desenvolver a doença em caso grave e em 87% as hospitalizações. É a primeira a obter o registro definitivo na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Brasil, esta semana. Apesar da liberação, o imunizante ainda não está disponível no país.

O prefeito de Itapevi, Igor Soares (Podemos) iniciou conversas com diretores da Pfizer/BioNTech para estudar possibilidade de aquisição das vacinas contra a covid para as cidades do Cioeste.

publicidade

“Vivemos em uma região com grande circulação de pessoas, de fácil e ágil acesso e por isso não há sentido em pensar em apenas uma cidade quando o assunto é vacinação. Precisamos trabalhar em conjunto e vamos nos esforçar muito para viabilizar a vacina para Itapevi e os demais municípios da região”, destacou Igor Soares.

>>> Leia também: Volta das aulas presenciais é adiada para 15 de março em Osasco, Barueri, Carapicuíba, Itapevi e região

publicidade

Até o momento, municípios não estão autorizados a comprar as vacinas diretamente da fábrica. Igor explica que o procedimento é a companhia primeiro ofertar a venda para o governo federal. “Se o presidente entender que não deverá adquirir, a oferta será feita ao governo do estado e, depois, dará possibilidade aos municípios, se o Estado não aceitar”, explicou o prefeito de Itapevi.

O Cioeste é composto pelos seguintes municípios: Araçariguama, Barueri, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista.

Vacinas emergenciais

As outras vacinas aprovadas no Brasil, que já vêm sendo aplicadas, são para uso emergencial: a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, e a vacina produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a Universidade de Oxford e o laboratório inglês AstraZeneca.

Comentários