DEM de Osasco tenta atrair vereadores e se fortalecer para eleições 2020

0
Reunião Democratas

Na tarde de terça-feira (25) lideranças do partido Democratas em Osasco se reuniu em São Paulo para conversar sobre possíveis nomes que migrarão para a sigla, de olho nas eleições municipais de 2020.

Participaram da reunião o secretário de Finanças da Prefeitura de Osasco e presidente do DEM Osasco, Pedro Sotero; o vice-presidente do DEM Osasco, Bruno Sindona, e os vereadores Alex da Academia (PDT) e Cláudio da Locadora, que está sem partido após sair do PV, além de Rafael Paes, do Sindicato do Comércio Varejista de Osasco.

De acordo com o vice-presidente Bruno Sindona, os dois vereadores devem migrar para o DEM: “Nossa proposta é fazer um grupo forte. Estamos conversado com outros nomes, no sentido de desenvolver um projeto para a cidade no âmbito do partido” afirma o Sindona.

Publicidade

Cláudio da Locadora já teria demonstrado interesse em migrar para o Democratas. Já Alex da Academia disse à reportagem que dificilmente ficará no PDT, e, que além do DEM, também estuda a possibilidade de ir para o Solidariedade.

Em relação à disputa pela Prefeitura, Bruno Sindona diz que o partido não lançará candidato em Osasco para 2020: “nossa corrida é de distância, não de velocidade”. Em contrapartida, ele afirma que espera eleger com o DEM pelo menos quatro vereadores na próxima eleição.

Sobre o apoio ao atual prefeito Rogério Lins (PODE), Bruno Sindona diz que, até o momento, o DEM está com o prefeito, mas que a situação pode mudar no futuro.

“Neste momento estamos com o governo, mas essa não é uma preocupação central”, frisa o vice-presidente do DEM. “Queremos estar fortalecidos para dialogar com força e estrutura, com qualquer que seja o governo, e de fato emplacar projetos. Tem muita coisa para acontecer ainda até o ano que vem”.

Além de Cláudio da Locadora e Alex da Academia, outros vereadores da Câmara de Osasco já demonstraram que devem deixar os partidos, como, por exemplo, os ex-PRP que atualmente estão partido: Ribamar Silva, presidente da Câmara, e Daniel Matias.

Comentários