Compartilhar
Jogadora ajuda projeto com crianças da região / Foto: João Pires-FotoJump

O Vôlei Nestlé segue em fase de preparação para o confronto diante do Terracap/BRB/Brasília Vôlei, pela quinta rodada do primeiro turno da Superliga. A partida está marcada para terça-feira (22), às 20h, no ginásio Sesi Taguatinga.

Publicidade

Com 12 pontos, o time de Osasco está invicto e lidera a competição. Esse jogo será especial para a ponteira Tandara, que nasceu em Brasília e toda sua família ainda reside na cidade.

A jogadora considera esses reencontros emocionantes e acredita em uma atmosfera favorável com os apoios dos parentes e amigos.

Jogar em Brasília traz boas recordações para Tandara, inclusive, o local do duelo é bem familiar para ela.

“Joguei nesse ginásio várias vezes. A última vez que atuei lá foi na temporada passada pelo Camponesa/Minas e foi bastante gente da minha família (mãe, avó, tios e primos). Sou muito família, então tê-los por perto é uma sensação de poder trazê-los um pouco para o meu mundo, que participem um pouco mais de perto da minha vida”, afirma.

LEIA TAMBÉM:
Meninas do Vôlei Nestlé entram na onda do desafio do manequim; veja vídeo

“É uma oportunidade de reencontrar pessoas que fizeram parte do meu início no vôlei e me ajudaram bastante. Fico muito emocionada toda vez que vou para Brasília”, completa a jogadora.

Tandara disputou sua primeira Superliga com 16 anos, por isso, precisou deixar Brasília quando ainda era bem nova. A atleta tem consciência que serve de referência para muitas crianças de seu município.

“Fico feliz porque há inúmeras crianças em Brasília que se espelham em mim por ter saído cedo da cidade e ter me dado bem no esporte. O fato de representar o Brasil em competições importantes e estar em um grande clube como o Vôlei Nestlé também serve como inspiração para elas”, analisa.

Projeto social 

“Algumas consigo ajudar, pois participam de um projeto em Brasília que leva meu nome. Sempre que estou na cidade participo e vou até lá fazer um bate papo com as crianças. Isso muito importante e me alegro em contribuir com uma pequena porcentagem para poder ajudar a tirar essas crianças da rua e de más influências”.

A ponteira explica que sua contribuição com o projeto se dá pela cessão de seu nome e o mesmo é tocado por ex-técnicos dela, sendo um deles Fernando Alves, que trabalha nas categorias de base do Terracap/BRB/Brasília Vôlei.

O programa é desenvolvido na escola Fátima, local onde Tandara estudou e existe um plano de bolsa para crianças carentes. Ela foi a primeira bolsista e precursora.

Atualmente, o projeto tem cerca de 100 atletas em diversas modalidades e ela foi a primeira. Tandara espera a presença em peso de parentes e amigos.

“Acredito em umas 30 pessoas e espero que façam muito barulho. Com certeza virão meus irmãos Gleyson e Rafael, meus pais Evaldo e Maria da Graça, meus primos, minhas sobrinhas e vários amigos”, finaliza a jogadora.

Comentários

Faça seu comentário