Diretor do BuzzFeed processa morador de Alphaville, Pyong Lee e pede R$ 1,5 milhão

1
pyong morador de alphaville
Foto: reprodução

Um dos moradores ilustres de Alphaville, Pyong Lee foi acusado pelo diretor de criação do site BuzzFeed, Gabriel Matos, de incentivar ataques online contra o profissional, que acionou a Justiça contra o hipnólogo e pediu uma indenização de R$ 1,5 milhão.

A polêmica envolvendo o ex-bbb e o diretor de criação do BuzzFeed teve início em abril, quando Matos, que também é conhecido como Sukita, postou mensagens no Twitter citando a família de Pyong Lee. “Rapaz, hoje eu tô mais largado que o filho do Pyong”, escreveu Sukita. “Com a saída da Gizelly e nenhum paredão formado, vou ter que me dedicar ao meu hobby: zuar a família do Pyong”, disse Gabriel Matos em outra publicação.

Reprodução
Reprodução

Dois dias depois, Pyong anunciou, também no Twitter, que iria processar as pessoas que atacaram sua família na internet. “Contratei sete advogados para processar todos os criminosos da internet que acham que podem ficar impunes depois de falar m*rda. Tirei mais de 500 prints já. me mandem mais se tiverem”, escreveu o ex-bbb.

Publicidade

Ainda em referência aos processos, Pyong cita o diretor do site em outro tuíte. “O primeiro será o @Sukitabr do @BuzzFeedBrasil. Funcionário com o comportamento top na internet. Vocês são coniventes, né BuzzFeed?”

Na ação, Gabriel Matos alega que suas publicações foram reproduções de memes e piadas que já circulavam na internet e que os conteúdos de sua página possuem tom humorístico. Gabriel afirma que a reação do hipnólogo foi “desproporcional”, o que teria gerado ataques e ameaças vindas de supostos seguidores de Pyong.

“Gabriel acredita que as suas manifestações não tiveram qualquer condão ofensivo, sendo, pelo contrário, protegidas por seu direito constitucional de livre manifestação. Pessoas públicas, com muita visibilidade, devem ter muito cuidado ao incitar perseguições digitais”, diz nota do jurídico de Matos, enviada ao UOL.

Em decisão liminar, o juiz Marcelo Augusto Oliveira, da 41ª Vara Cível, não acatou o pedido de tutela antecipada feito por Gabriel Matos. O magistrado entendeu que Pyong exerceu seu “livre direito de resposta” e que não incentivou seus seguidores a atacarem o diretor.

“Se o autor [Gabriel Matos] está sendo ameaçado ou ofendido por qualquer pessoa, seguidor do requerido [Pyong] ou não, pode valer-se de pretensão em face dessas pessoas”, completou o juiz.

Em sua conta no Twitter, Gabriel Matos anunciou, na segunda (19), que sexta-feira (22) será o último dia como diretor de criação do site BuzzFeed.

Comentários