Domingo de protestos contra e a favor do impeachment reúne milhares, mas tem menor adesão

0
Domingo de protestos contra e a favor do impeachment reúne milhares, mas tem menor adesão
Largo da Batata reuniu manifestantes contra o golpe, pelo Fora Temer e por novas eleições / Foto: Paulo Pinto

Domingo de protestos contra e a favor do impeachment reúne milhares, mas tem menor adesão
Largo da Batata reuniu manifestantes contra o golpe, pelo Fora Temer e por novas eleições / Foto: Paulo Pinto

publicidade

No domingo, 31 de julho, a capital paulista contou com atos pelo “Fora Temer” e por novas eleições no Largo da Batata, e também pró-impeachment na avenida Paulista. Pela primeira vez, o número de manifestantes foi reduzido.

Os protestos, principalmente os contra Dilma, perderam adeptos na comparação com as manifestações de abril, às vésperas da votação da admissibilidade do impeachment pela Câmara dos Deputados.

publicidade

O Movimento Brasil Livre (MLB) desistiu de participar do ato, que já havia convocado, porque preparam uma manifestação maior em uma data mais próxima da votação no Senado. O protesto foi liderado pelo Vem Pra Rua e pelo Movimento Contra a Corrupção (MCC). O ato foi marcado por discursos de Alexandre Frota, recheado de xingamentos e palavrões, além do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), Major Olímpio (SD-SP) e da atriz Regina Duarte.

Domingo de protestos contra e a favor do impeachment reúne milhares, mas tem menor adesão
Protesto na Av. Paulista pede o impeachment de Dilma Rousseff / Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

No Largo da Batata, promovido pela Frente Povo Sem Medo, o ato da esquerda protestou contra o golpe e pela restauração da democracia. A manifestação foi em defesa da presidente afastada Dilma Rousseff, pelo “Fora Temer” e por novas eleições.

publicidade

O tema do ato é “Fora Temer! O povo deve decidir! Defender nossos direitos, radicalizar a democracia!” Liderança do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e um dos coordenadores da Frente Povo Sem Medo, Guilherme Boulos disse que o primeiro eixo do protesto é o Fora Temer, “porque esse governo é ilegítimo”. O segundo é a defesa dos direitos que estão ameaçados com o programa do golpe – “não precisou nem dois meses para que as máscaras caíssem e as razões do golpe fossem expostas em praça pública”. E por fim, que povo seja convocado a decidir que fim quer para a crise política.

Os deputados federais Luiza Erundina e Ivan Valente, do Psol-SP, compareceram ao ato e discursaram. “Eu lutei como muitos que aqui estão contra a ditadura militar. Fomos expulsas do Nordeste porque defendíamos a reforma agrária e a democracia”, disse Erundina. O ex-senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) também compareceram.

Houve participação de movimentos sociais como o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, CTB, CUT, União da Juventude Socialista, União Nacional dos Estudantes e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

Comentários