Início Política Doria deixará governo de São Paulo e confirma pré-candidatura à presidência

Doria deixará governo de São Paulo e confirma pré-candidatura à presidência

0
doria
Divulgação

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou, nesta quinta-feira (31), durante evento no Palácio dos Bandeirantes, que deixará o cargo para entrar na disputa presidencial nas eleições de outubro. A desistência de sua pré-candidatura para presidente era dada como certa até a manhã de hoje, no entanto, o tucano voltou atrás e decidiu que vai concorrer ao pleito.

publicidade

Com a decisão, Doria passa, no sábado (2), o cargo de governador para o vice Rodrigo Garcia, que continua como pré-candidato pelo PSDB para suceder Doria no governo de São Paulo.

A possibilidade de Doria desistir da corrida presidencial e se manter no pleito para governador estremeceu os ânimos dentro do partido. João Doria cogitou abrir mão da disputa pela presidência da República, permanecendo no governo paulista até o fim do mandato. A ideia, no entanto, teria gerado atrito entre ele e Garcia.

publicidade

Durante reunião com aliados, no início da tarde desta quinta, um “acordo de paz” teria sido selado entre Doria e Garcia, que vai concorrer ao governo estadual em outubro. No encontro, Doria teria se queixado de que sua possível desistência seria motivada por não ter recebido apoio do presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, para sua pré-candidatura.

Doria teria afirmado também que espera mobilizações de Araújo contra as possíveis investidas de Eduardo Leite, que pretendia sair como pré-candidato a presidente da República pelo partido mesmo depois de ser derrotado nas prévias.

publicidade

Doria continua e Moro desiste

Ao contrário de Doria, que decidiu permanecer no pleito a presidente do Brasil, o ex-ministro da Justiça Sergio Moro confirmou sua desistência da pré-candidatura presidencial. Em nota publicada no Instagram, ele afirmou também que deixa o Podemos.

“O Brasil precisa de uma alternativa que livre o país dos extremos, da instabilidade e da radicalização. Por isso, aceitei o convite do presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, para me filiar ao partido e, assim, facilitar as negociações das forças políticas de centro democrático em busca de uma candidatura presidencial única”, escreveu Moro.

“A troca de legenda foi comunicada à direção do Podemos, a quem agradeço todo o apoio. Para ingressar no novo partido, abro mão, nesse momento, da pré-candidatura presidencial e serei um soldado da democracia para recuperar o sonho de um Brasil melhor”, finalizou.

Comentários