Compartilhar
Mandato de Furlan sob ameaça

Leandro Conceição

Com os reflexos da crise econômica do país no município, o prefeito de Barueri, Rubens Furlan (PSDB), diz que “não tem muito o que comemorar” neste aniversário de Barueri. A cidade celebra 68 anos de emancipação no dia 26 e comemora com uma programação tímida, com pequenos eventos culturais.

“É o pior aniversário da nossa cidade, mas espero que, no ano que vem, a gente tenha muita coisa para comemorar. Aí sim, faço uma festa, não pelo aniversário, mas pelo que conquistamos ao longo deste ano”, declarou Furlan ao Visão Oeste após reunião do Consórcio Intermunicipal da Região Oeste (Cioeste), em Barueri, nesta quinta-feira, 16.

O prefeito definiu o início da gestão como “muito difícil”. “A gente pega o Brasil numa crise sem precedentes, uma crise moral política, financeira. Claro que isso reflete diretamente nas cidades, e a gente está tendo muitas dificuldades nas cidades. Precisamos gastar menos e melhor. E é isso que a gente está tentando fazer”.

Saúde

Furlan afirmou que a saúde é uma das áreas prioritárias na gestão e que, a atual situação no setor, é um dos motivos para o desânimo neste aniversário de Barueri.

“Enquanto a gente tiver uma fila de espera no Pronto Socorro Infantil de três horas, três horas no Pronto Socorro Central, 1.600 pessoas para fazer cirurgia, não tem o que comemorar, não”.

Ele assegurou ainda que “nós vamos melhorar a saúde em Barueri, em três, quatro meses, no máximo”. De acordo com ele, a partir de abril o município vai focar em reduzir a fila de espera para cirurgias no Hospital Municipal.

“Temos capacidade de fazer 60 cirurgias por dia, num período de 24 horas e a partir de abril nós vamos começar a fazer e tirar essa fila de espera”.

Comentários

Faça seu comentário