Educação é o caminho do desenvolvimento

1

Tenho muita convicção a respeito do quanto a educação deve ser uma prioridade para o desenvolvimento das cidades e do país.
Em Osasco a prefeitura tem realizado um esforço para garantir a melhoria das condições do ensino. O Prefeito Jorge Lapas reconhece o papel estratégico da educação para a vida das pessoas.

publicidade

Quando examinamos a melhoria dos produtos produzidos pelas empresas e organizações de todos os tipos percebemos sempre que há uma relação direta com o nível educacional dos trabalhadores.
Mas não é só isso: a educação tem uma interface direta com o fortalecimento da cidadania à medida que abre horizontes, fortalece valores e cria novas perspectivas para as pessoas.
Estamos em um tempo muito oportuno para fazer este debate, afinal de contas há fortes debates eleitorais em que a educação sempre é apresentada com a necessária prioridade. O grande dilema em relação a este tema nestes períodos acontece quando as urnas são fechadas e os debates são colocados de lado.

Depois da proclamação dos eleitos nem sempre os inflamados discursos em defesa da melhoria das escolas se concretizam. Aliás, em tempos de eleição nunca vi alguém dizer que a educação não deve ser prioridade.
Tenho procurado construir as relações possíveis em relação à educação e o desenvolvimento. Até porque é publico e notório que a construção de uma agenda voltada especialmente para o desenvolvimento local deve ser implementada por diversos sujeitos sociais e ao longo deste processo é essencial considerar a disponibilidade e a qualidade dos sistemas educacionais.

publicidade

Estas reflexões acontecem no momento em que mais uma série de indicadores do IDEB – Índice da Educação Básica é apresentado e cujos números não apontaram as esperadas melhorias.
Este indicador possibilita o monitoramento da qualidade da educação pela população por meio de dados concretos e contribui para que a sociedade possa se mobilizar em busca de melhorias no sistema educacional.
Neste momento acendeu-se um sinal de fortes preocupações. É por isso que reitero nesta coluna o quanto deve ser necessária a construção de uma agenda responsável em que exista um forte engajamento do conjunto da sociedade.

Mônica Veloso é diretora do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região e secretária de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão de Osasco

publicidade

Comentários