“Ele falava ‘cala a boca aqui é Polícia Militar’”, diz rapaz sufocado por PM em Carapicuíba

0
abordagem pm carapicuíba
Fotos: reprodução

O jovem de 19 anos que chegou a ficar desacordado ao receber golpe “mata-leão” de PM no domingo (21), falou sobre a abordagem dos policiais. A ação, que ocorreu no Ariston, em Carapicuíba, foi gravada e viralizou na internet.

publicidade

Ao colidir com a viatura da PM, o rapaz contou que a moto caiu para um lado e ele tentou sair pelo outro, mas o policial achou que ele iria fugir. “Assim que ele jogou [a viatura] na minha frente com tudo, eu parei. Só que a moto não segurou o freio, ela foi um pouco pra frente. Aí como ele já estava à frente da minha moto, a gente bateu. Como eu pulei da moto, a moto caiu pra cá e eu pulei para lá, ele achou que eu ia correr. Nisso que ele achou que eu ia correr, ele já grudou no meu pescoço”, disse à GloboNews.

À CNN Brasil, o rapaz contou que já ouviu relatos de abordagens violentas no bairro, mas que nunca tinha passado por uma situação parecida. “Falava que não era bandido, não era criminoso, que não precisava ele fazer aquilo. Falava que não conseguia respirar, ele falava ‘cala a boca aqui é Polícia Militar’. A todo momento ele falava isso”.

publicidade

“Poderia ter sido um caso do George Floyd se repetindo aqui no Brasil”, diz ouvidor

Nesta terça-feira (22), o ouvidor da polícia de São Paulo, Elizeu Soares Lopes, disse que as imagens são “chocantes e estarrecedoras”. “É inadmissível, poderia ser pior, poderia ter sido um caso do George Floyd se repetindo aqui no Brasil, felizmente não aconteceu”, afirmou à CNN Brasil.

publicidade

George Floyd, citado pelo ouvidor, foi um segurança norte-americano negro assassinado por um policial branco durante uma abordagem nos Estados Unidos. Por quase nove minutos, o policial pressionou o joelho no pescoço de Floyd, que morreu asfixiado.

De acordo com Elizeu Lopes, esse tipo de violência “não são casos isolados”. O ouvidor incentivou ainda a população para gravar e denunciar situações de abuso policial. “Não podemos conviver com abuso de polícia, de forma nenhuma. Polícia é para proteger as pessoas”.

Os policiais militares envolvidos na abordagem que deixou um rapaz desacordado, ao menos três vezes, foram afastados, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP). “Por precaução, os policiais foram afastados para funções administrativas e as imagens citadas são analisadas pela instituição”.

Comentários