“Em fevereiro, se Deus quiser, Carapicuíba será polo de vacinação contra a covid-19”, diz prefeito

Durante discurso de posse, Marcos Neves (PSDB) falou com expectativa sobre a vacinação no município

0
Marcos Neves carapicuíba
Marcos Neves (PSDB) falou com expectativa sobre a vacinação contra a covid-19 no município / Foto: Divulgação

Durante o seu discurso de posse, o prefeito de Carapicuíba, Marcos Neves (PSDB), relembrou os desafios que a pandemia de covid-19 trouxe ao município e falou com expectativa sobre a vacinação contra a doença.

publicidade

“Já estamos preparados para atender a população. Em fevereiro, se Deus quiser, Carapicuíba será um polo de vacinação contra essa doença”, declarou, na cerimônia realizada no Ginásio Ayrton Senna, na sexta-feira (1°).

Marcos Neves afirmou, em dezembro, que a Secretaria de Saúde de Carapicuíba já elaborou um plano de vacinação contra a covid-19. “Acompanhamos o início da imunização no Reino Unido, que nos trouxe esperança de mais uma vitória. Tenho fé em Deus que logo teremos vacina aprovada aqui no Brasil também”.

publicidade

Governo estadual quer iniciar campanha de vacinação em 25 de janeiro

O estado de São Paulo encerrou o ano de 2020 com 10,8 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan.

De acordo com o governo estadual, a quantidade já é superior ao necessário para iniciar a aplicação das primeiras doses em grupos prioritários, como profissionais da saúde e idosos. Além disso, também foram adquiridas 71 milhões de seringas e agulhas para a aplicação das vacinas.

publicidade

O governador João Doria (PSDB) pretende iniciar a campanha de imunização no dia 25 de janeiro em todo o estado. No entanto, para dar início à vacinação, o governo estadual precisa da autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para o uso emergencial da CoronaVac.

O pedido à Anvisa deve acontecer na quinta-feira (7), quando Doria fará o anúncio da atualização do Plano São Paulo. Após a solicitação, a instituição terá dez dias para liberar ou não a aplicação da vacina.

Anvisa aprovou a importação de 2 milhões da vacina produzida pela Fiocruz

Apesar de não ter a aplicação autorizada no país, a Anvisa autorizou a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) a importar 2 milhões de doses da vacina desenvolvida pela AstraZeneca.

Comentários