Após o vereador Guto Carapicuíba (PV) apresentar requerimento com críticas à empresa de ônibus ETT, uma das concessionárias do transporte público no município, por, segundo ele, promover uma demissão em massa de cobradores e transferir a função ao motorista, a concessionária negou que esteja adotando essas medidas.

publicidade

“Não aconteceu nenhuma demissão em massa”, afirmou o departamento de administração da ETT à reportagem.

De acordo com a empresa, houve algumas demissões, mas justificadas, e a companhia continua com 190 cobradores. Não foi informado, no entanto, quantos cobradores foram demitidos recentemente.

publicidade

O departamento de administração da ETT também negou a intenção de acabar com a função de cobrador, assunto que sempre volta à pauta nos municípios e é estudado pela prefeitura de São Paulo.

“Cobrador continua existindo, normal. [Inclusive] a gente teve na semana passada uma seleção para contratar cobradores”.

publicidade

A administração da empresa admite que foi realizada uma experiência para avaliar o funcionamento do serviço sem cobradores, mas não foi bem-sucedida.

Reclamações

O vereador Guto Carapicuíba havia declarado que, além de prejudicar os cobradores demitidos, com a “demissão em massa” denunciada por ele, a ETT sobrecarregou os motoristas, que agora são obrigados a cumprir as duas funções.

“Isso nos causou enorme preocupação, porque centenas de pessoas foram dispensadas, aumentando o desemprego em Carapicuíba”, disse o parlamentar.

“Além disso, ao transferir a função do cobrador para o motorista, cria-se um risco desnecessário de acidentes, pois muitas vezes o ele realiza essa tarefa com o ônibus em movimento”.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui