Empresa nega ser responsável por forte mau cheiro que infernizou moradores de Itapevi na noite desta quarta (17)

0
mau cheiro itapevi
Caso está em investigação / Foto: reprodução

Após muitos moradores de Itapevi relatarem dores de cabeça, náuseas e outros transtornos devido a forte mau cheiro, na noite desta quarta-feira (17), boatos nas redes sociais apontaram que a TWM Ambiental seria a responsável pelo problema, por suposto despejo irregular de produtos químicos. No entanto, a empresa nega veemente e diz que vai processar quem espalhou informações falsas sobre ela.

publicidade

Em nota, a companhia afirma que, durante a madrugada, recebeu as visitas de técnicos da Cetesb e representantes da Guarda Civil Municipal, Corpo de Bombeiros e Secretaria de Meio Ambiente de Itapevi e nenhuma irregularidade por parte dela foi constatada. “Nenhum desses respeitáveis órgãos constatou qualquer irregularidade em nossa atividade e também não constataram qualquer espécie de material ou ligação com o forte odor noticiado pelos moradores da região”.

A TWM afirma ainda que a mentira espalhada sobre ela “será perseguida e decapitada com a espada da verdade, inclusive com a responsabilização civil e criminal dos responsáveis pelo lançamento dessas fake news”.

publicidade
Reprodução

Na noite desta quarta, muitos moradores de Itapevi relataram nas redes sociais transtornos gerados pelo mau cheiro “muito forte” em diversos bairros, como na região do Jardim Santa Rita. “Está insuportável mesmo. Começou por volta das 16h e agora 22h piorou (…) Tenho bronquite, estou passando mau”, declarou B.S.O. “Gente está demais, minha cabeça está explodindo por causa desse cheiro”, declarou a moradora G.R em um grupo de moradores do bairro no Facebook. “Está me causando náuseas”, comentou A.M.S. O mau cheiro diminuiu na manhã desta quinta.

Reprodução

publicidade
Reprodução
Reprodução

Investigação

O caso continua sob investigação, afirmou o prefeito Igor Soares (Podemos): “Ontem, muitos moradores de Itapevi sentiram odor horrível que saia do Ribeirão São João e do Rio Barueri Mirim. Imediatamente, a Prefeitura acionou a Cetesb, que é o órgão do Estado responsável por investigar, localizar e, se necessário, multar a empresa responsável pelo crime ambiental”.

“Desde ontem à noite, equipes da Cetesb estão trabalhando em conjunto com profissional da Secretaria Municipal de Meio Ambiente para que os responsáveis sejam localizados e devidamente punidos pelo crime cometido”, continuou Igor Soares. “Desrespeito com o meio ambiente, com os animais e com as famílias não pode passar em branco”.

Comentários