Leandro Conceição

publicidade

Em coletiva de imprensa na terça-feira, 7, o prefeito de Itapevi, Igor Soares (PTN), apresentou um balanço das ações e projetos desenvolvidos nos primeiros dias de mandato e um diagnóstico da situação encontrada na administração municipal que, segundo ele, é de “abandono”.

“Nós encontramos um estado de abandono na prefeitura toda”, declarou Igor. O prefeito apresentou fotografias de problemas estruturais, como mofo, infiltrações, paredes rachadas e goteiras em escolas e unidades de saúde. Em uma delas, inclusive, uma funcionária usava um guarda chuva para proteger fichas de pacientes da água.

publicidade

De acordo com ele, no segundo semestre devem ser iniciadas reformas dos prédios do município, principalmente nas áreas de Educação e Saúde. Igor disse planejar “um mutirão de reformas nesses prédios sucateados e destruídos”.

Sobre ações desenvolvidas, o prefeito destacou o foco no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya; e para diminuir o drama das enchentes no município, com o desassoreamento de córregos.
Essas ações, avaliou, “não acabaram com as enchentes, mas os alagamentos tiveram um impacto muito menor do que nos anos anteriores”.

publicidade

Saúde 

Na Saúde, o município tem um déficit de cerca de 50 médicos, principalmente especialistas, de acordo com o prefeito. Devem ser feitas contratações emergenciais para reduzir a demanda. “Acredito que em três meses a gente tenha esse problema amenizado”.

Igor também afirmou que tem dialogado com hospitais e clínicas particulares para estudar possíveis parcerias com o município.

Ele usou como referência o “Corujão da Saúde”, adotado por João Doria (PSDB), em São Paulo. Em Itapevi, a ideia é que o atendimento a pacientes da rede pública no tempo ocioso da rede particular seja feito aos finais de semana.

Com R$ 47,7 milhões em dívidas, contratos são renegociados 

Na parte administrativa, Igor Soares afirma que a prefeitura de Itapevi soma R$ 47,7 milhões em dívidas.

Para ajudar a reforçar os cofres do município, foram adotadas ações de austeridade, como a redução do número de secretarias municipais, de 20 para 16, de despesas nos órgãos do município e renegociação de contratos para reduzir os custos com fornecedores de 10% a 30%.

“Estamos negociando todos os contratos de locação [de imóveis]. Já conversamos com 90% dos locatários e quase todos eles aceitam reduzir o valor das locações para o município”, declarou o prefeito.

“A prefeitura paga hoje cerca de R$ 600 mil por mês em aluguéis, R$ 7 milhões por ano. A meta é economizar R$ 2 milhões”.

O prefeito de Itapevi também ressaltou o recadastramento dos cerca de 5,1 mil servidores do município, para combater possíveis “fantasmas”. “Quem não fizer o recadastramento, vai ter o salário cortado”.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui