Início Brasil Enem: “só se sai bem quem está bem informado”, alerta professor

Enem: “só se sai bem quem está bem informado”, alerta professor

0
Grandes manifestações de rua, que se intensificaram no país desde 2013, devem estar entre os temas da prova

William Galvão

publicidade

A cinco meses do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que esse ano terá 8,6 milhões de participantes tentando uma vaga nas universidades, candidatos de todo o Brasil focam seus estudos no conteúdo da prova. O lançamento da plataforma gratuita Hora do Enem, que dá acesso a videoaulas e a realização de simulados, é um dos facilitadores na hora de estudar, principalmente para quem não pode pagar por um cursinho preparatório.

Grandes manifestações de rua, que se intensificaram no país desde 2013, devem estar entre os temas da prova
Grandes manifestações de rua, que se intensificaram no país desde 2013, devem estar entre os temas da prova

Estar atualizado com os temas contemporâneos é uma vantagem aos participantes. De acordo com o professor Jucenir da Silva Rocha, que dá aula de História no Anglo Vestibulares, “quando um tema está muito em voga, o mais comum é que caiam questões que se relacionem com o momento”, diz. Recessão econômica, processo de impeachment e a polarização partidária são temas que podem entrar nas questões. “Não tem jeito, só se sai bem quem está bem informado”, crava o professor.

publicidade

Segundo ele, uma possível questão seria o impedimento do ex-presidente Fernando Collor, que sofreu impeachment mesmo tendo renunciado ao cargo. “São perguntas que pegam carona na atualidade para analisar o passado”, explica.

Temas relacionados à economia de maneira mais aprofundada, para Rocha, podem não aparecer, mas é importante que sejam estudadas, como a crise na Petrobras, por exemplo. “É um tema antigo, cobrado com certa frequência e, dadas às circunstâncias, há grandes chances de aparecer”.

publicidade

A corrupção é um dos temas mais falados e que pode dar as caras também. Outra possibilidade são as manifestações de rua, que se intensificaram no país desde 2013. Para o professor, o exame pode cobrar algo ligado à composição social dessas manifestações. “É importante compreender as grandes agitações do país por parte da população, como o movimento Diretas Já”.

Esse ano, as provas do Enem acontecem nos dias 5 e 6 de novembro. A nota do Enem é usada na seleção de instituições públicas, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), bolsas na educação superior privada, pelo Programa Universidade Para todos (ProUni), e vagas gratuitas nos cursos técnicos oferecidos pelo Sisutec. O resultado do exame também pode ser usado para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e para participar do Programa Ciência Sem Fronteiras, além de certificado de ensino médio para maiores de 18 anos.

Comentários