“Estou bastante consternado”, diz Furlan sobre a pandemia do coronavírus

1
Furlan coronavírus barueri
Foto: reprodução

Em transmissão ao vivo nas redes sociais na tarde desta sexta-feira (20), o prefeito de Barueri, Rubens Furlan, falou sobre a pandemia do novo coronavírus (covid-19) e ações de combate à doença no município. “Estou bastante consternado. Conhecendo alguns casos, pessoas conhecidas”, declarou.

Ele afirmou que a Prefeitura trabalha na ampliação de leitos para atender possíveis pacientes acometidos pelo coronavírus. “Temos 60 e estamos providenciando mais 90 leitos, para fechar 150 leitos, de isolamento, de tratamento, e vamos tentar chegar em 50 leitos de UTI”.

O prefeito de Barueri reforçou o pedido para que as pessoas fiquem em casa, só saiam em caso de extrema necessidade, para evitar a disseminação do coronavírus. “Ficar em casa é recomendado por todos os médicos, por todos os técnicos de saúde do mundo inteiro”.

Publicidade

“Todos nós estamos muito preocupados com a insistência das pessoas em fazer o que se tem que fazer para evitar a escalada da doença. O coronavírus pega com o contato. Aglomeração é muito perigoso nesse momento e tem gente que insiste em promover e participar de aglomeração”, disse Furlan.

O prefeito também comentou sobre as atividades comerciais da cidade em meio à crise econômica gerada pela pandemia. “O comércio não tem obrigação de fechar. Mas por favor, crie uma situação para continuar aberto sem aglomerar. É passageiro, não vai durar eternamente”.

De acordo com ele, “por enquanto, estamos fazendo um apelo, mas, se for necessário, nós baixamos um decreto fechando todo o comércio (não essencial) da cidade”. “Não quero fazer isso porque acho que nossos comerciantes vão contribuir, mas, se for necessário, eu vou fazer”.

Furlan reforçou ainda: “As pessoas que têm mais de 60 anos… Eu tenho mais de 60 anos, sei que estou no grupo de risco. E os cuidados que estou tendo agora , gostaria que todos, do grupo de risco principalmente, tenham. É muito importante, meus amigos”.

A cidade tem pelo menos quatro casos confirmados da doença e mais de 70 suspeitos.

“Não quero pagar pra ver. É a vida”

Para o prefeito de Barueri, “a situação que estamos vivendo poderá ser imensamente grave, mas muito grave… ou só grave. Depende de cada um de nós”. Furlan também lembrou da gravidade da crise na Itália e outros países da Europa. “Nós estamos vendo o que está acontecendo na Itália, não tem cova suficiente para enterrar as pessoas que estão morrendo”.

Ele afirmou ainda que a Itália “pagou pra ver” a escalada do coronavírus e hoje enfrenta uma situação extremamente grave.

Furlan também criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro perante à pandemia. “O presidente da República parece que está pagando para ver. Mas eu não quero pagar para ver, porque é a vida”.

Comentários