Fecomercio estima queda de 12,8% no faturamento do comércio varejista na região de Osasco

0
Este ano vendas devem atingir um montante de R$ 49,7 bilhões / Foto: Eduardo Metroviche

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) estima que em dezembro, as vendas do comércio varejista na região de Osasco apresentem um resultado 16,7% menor que o registrado em 2015, atingindo um faturamento real de R$ 4,7 bilhões.

publicidade

Para o ano de 2016, as vendas devem atingir um montante de R$ 49,7 bilhões, 12,8% menor se comparado com 2015, o pior desempenho do Estado de São Paulo. Em 2015, o faturamento foi de R$ 57,0 bilhões, 8,5% inferior ao ano anterior.

Dessa forma, a região de Osasco tem a terceira maior participação nas vendas do varejo paulista dentre as 16 regiões avaliadas pela Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV), sendo responsável por 8,6% do faturamento anual total.

publicidade

Saldo de empregos formais também é negativo

Já o mercado de trabalho do comércio varejista da região de Osasco deverá ter redução de 5.767 empregos com carteira assinada em 2016. Este saldo negativo será resultado de 58.429 admissões contra 64.196 desligamentos.

publicidade

Com isso, o varejo da região deve encerrar o ano com 136.642 trabalhadores ativos, queda de 4,0% em relação ao fim do ano anterior. Se confirmada a projeção, representará o pior desempenho entre as 16 regiões paulistas analisadas.

Em 2015, o saldo já havia sido negativo em 4.541 postos de trabalho, recuo de 3,1% do estoque de empregos em relação ao ano anterior.

A FecomercioSP estima que apenas os segmentos de farmácias e perfumarias e supermercados, entre as nove atividades, gerarão vínculos formais em 2016, com 279 e 172 empregos respectivamente.

Em número de vagas, o destaque será a perda de 2.180 vínculos projetada para o setor de outras atividades. A atividade de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos registrará a maior redução proporcional do estoque de trabalhadores, com -12,4%, com perda de 1.338 empregos formais.

Comentários