Flagrantes de furto de água da Sabesp sobem 35% em 2016

Sabesp flagrou 25.939 casos de furto de água nas regiões Metropolitana de São Paulo e Bragantina

0
Flagrantes de furto de água da Sabesp sobem 35% em 2016

Em mais uma ação de combate a perdas de água, a Sabesp flagrou,
em 2016, 25.939 casos de furto de água nas regiões Metropolitana de São
Paulo e Bragantina, que correspondem aproximadamente ao desvio de 3,8
bilhões de litros.

publicidade

Este volume é suficiente para abastecer cerca de 380
mil pessoas durante um mês, praticamente a população de uma cidade do
porte de Diadema, por exemplo.

Na comparação com 2015, quando os técnicos da Sabesp identificaram 19.258
fraudes nessas regiões, houve um aumento de aproximadamente 35%. Em 2014,
a companhia flagrou cerca de 15,6 mil ocorrências de furto de água.

publicidade

Comparando 2014 com 2016, o aumento foi ainda mais expressivo: 66%. Essa
alta é resultado da intensificação nas vistorias em imóveis com suspeita
de irregularidade na ligação de água – no ano passado, as 70 equipes
caça-fraude da companhia de saneamento efetuaram 239,5 mil vistorias,
cerca de 660 por dia.

Além disso, em 2016, o valor recuperado nas fraudes
identificadas foi de R$ 35,3 milhões.

publicidade

Denúncias – A Sabesp também ressalta a importância da população na
identificação do crime de furto de água – crime tipificado no Artigo 155
do Código Penal, que prevê até oito anos de detenção.

O número de denúncias recebidas tanto pelo Disque-Denúncia (181) quanto peça Central de Atendimento Telefônico da Sabesp (195) totalizou 58.609. Para os dois
telefones, a ligação é gratuita e é garantido o sigilo do denunciante.

Ao constatar a fraude, a companhia cobra retroativamente a tarifa pela água
furtada e pelo esgoto coletado.

Operações conjuntas – As operações contra furto de água têm parceria com a
Secretaria Estadual da Segurança Pública. No ano passado, a Sabesp
realizou 35 operações conjuntas com a Polícia Civil, acionada em casos nos
quais o fraudador impede a fiscalização e também para prender os agentes
fraudadores que vendem a adulteração na ligação de água para moradores,
comerciantes e indústrias.

No ano de 2016 foram abertos 552 boletins de
ocorrência.

Residências lideram ranking – Do total de fraudes identificadas no ano
passado, 22.240 casos foram registrados em residências, 2.690 em
estabelecimentos comerciais e outros 1.001 em imóveis de uso misto e
indústrias.

A violação de hidrômetro (54%) e as ligações clandestinas
(41%) foram os principais tipos de irregularidade. Vale ressaltar, no
entanto, que as fraudes em comércios geram um desvio muito maior de água
por causa do tipo de consumo.

Comentários