Furlan é condenado pelo TRE e fica inelegível

0
Conforme julgamento, durante campanha eleitoral de 2012 houve gasto público com publicidade institucional em período vedado (menos de três meses antes do pleito) / Foto: Eduardo Metroviche

Conforme julgamento, durante campanha eleitoral de 2012 houve gasto público com publicidade institucional em período vedado (menos de três meses antes do pleito) / Foto: Eduardo Metroviche
Conforme julgamento, durante campanha eleitoral de 2012 houve gasto público com publicidade institucional em período vedado (menos de três meses antes do pleito) / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), condenou na sessão do último dia 6, o ex-prefeito de Barueri Rubens Furlan (PMDB), por conduta vedada e abuso de poder político e econômico durante o período eleitoral de 2012, quando ele trabalhava por eleger como sucessor seu vice-prefeito, Carlos Zicardi. A decisão, por maioria de votos, tornou Furlan e seu secretário de Comunicação, Antônio Júlio Baltazar, inelegíveis por oito anos, aplicando-lhes multa de R$ 75 mil e R$ 50 mil, respectivamente.

Ex-prefeito deve recorrer ao TSE

Conforme o julgamento, durante a campanha eleitoral de 2012, houve gasto público com publicidade institucional em período vedado (menos de três meses antes do pleito) no jornal oficial de Barueri, ao divulgar obras e serviços realizados na gestão. Também foram distribuídos convites para diversas inaugurações de obras públicas em datas próximas ao pleito.
De acordo com a sentença, “o município de Barueri distribuiu encartes publicitários, divulgando para a população a inauguração de diversas obras nos meses de agosto e setembro. Ainda de acordo com a decisão, “ficou demonstrado que houve publicidade acerca das inaugurações de escola municipal, maternais, policlínica, ginásio de esportes, secretaria dos direitos da pessoa com deficiência e parque recreativo, em período vedado pela legislação eleitoral”.
Furlan já foi eleito prefeito de Barueri em quatro oportunidades, além de ter exercido os cargos de vereador, deputado estadual e federal. Ele já se declarou pré-candidato a prefeito para a eleição do ano que vem. Ele deve recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

publicidade

Candidatos também são condenados

De acordo com os juízes, os candidatos a prefeito, Carlos Zicardi, e a vice, Cilene Rodrigues Bittencourt, foram beneficiados pelo apoio do então prefeito Furlan. Ambos tiveram como penalidade imposta a cassação dos seus registros de candidatura, uma vez que ficaram em segundo lugar no pleito, com 68.761 votos (41,21% dos votos válidos).

publicidade

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorpor recursos do estado
Próximo artigoAcidente com Eduardo Campos completa um ano