Furtos de veículos e roubos disparam, mas homicídios caem

2

Ruas escuras em torno de campus da Unifieo geram insegurança. Foto: Eduardo Metroviche
Ruas escuras em torno de campus da Unifieo geram insegurança. Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

As cidades da região registraram nos dois primeiros meses do ano aumento significativo em alguns índices de violência. O dado que mais assusta é o crescimento no número de roubos (exceto de veículos) de 66,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Em sete municípios foram registrados 2.444 roubos em janeiro e fevereiro deste ano, ante 1.466 em 2013. O maior aumento aconteceu em Osasco, onde o índice de roubos dobrou. 

Já o índice de furto de veículos registrou crescimento de 43% na região. Foram 698 registros em janeiro e fevereiro de 2013 e 1.001 no primeiro bimestre de 2014. Em Osasco, o índice teve aumento de 41%. O maior crescimento foi em Itapevi: 173%.
A estatística de furtos em geral teve aumento menor, de 3,3%. Nesse tipo de ocorrência o município com maior aumento foi Jandira: 42%.

publicidade

O lado positivo das estatísticas, que foram divulgadas nesta semana pela Secretaria de Segurança Pública, é a queda no índice de homicídios em 17% na região. Osasco teve 30% de homicídios dolosos a menos em relação ao ano passado. Foram 14 casos neste ano, contra 20 ano passado.

O Visão Oeste analisou dados de Osasco, Barueri, Carapicuíba, Santana de Parnaíba, Cotia, Jandira e Itapevi.

publicidade

Estado
No estado de São Paulo as estatísticas seguem a mesma tendência da região. O número de roubos (exceto de veículos) aumentou 37,2%, enquanto o de homicídios caiu 11,3%.

O secretario do Estado da Segurança Pública, Fernado Grella Vieira, diz que o aumento no índice de roubos era esperado devido à delegacia eletrônica, que permite o registro desse tipo de crime pela internet. No entanto, ele admitiu que o crescimento foi maior que o esperado. “Nós não estamos dizendo que esse aumento se deve apenas e exclusivamente à Delegacia Eletrônica”, disse.

O secretário afirmou também que apenas 2% dos roubos registrados no estado são esclarecidos. “A taxa de esclarecimento de crimes é baixa. Não é um problema de São Paulo, é um problema geral da polícia judiciária, e nós estamos investindo muito nesta matéria”. (Fernando Augusto)

Variação no número de roubos (exceto de veículos)

Osasco: +100%
Barueri: +91%
Jandira: +78%
Carapicuíba: +41%
Cotia: +23%
Itapevi: +16%
Santana de Parnaíba: -14%

Alunos do Unifieo pedem mais segurança

Os alunos do Centro Universitário Fieo, do campus da rua Narciso Sturlini, estão assustados com a onda de assaltos e furtos na região. Até uma tentativa de estupro a poucos metros da faculdade foi registrada. Em busca de soluções para o problema de segurança, os alunos fizeram uma manifestação na porta da universidade.

De acordo com Gabriel Yoshi, presidente do Diretório Acadêmico da Unifieo, após o ato pela segurança, os alunos foram recebidos pela reitoria da faculdade. “Nesse encontro foi assumido um compromisso de instalar um circuito interno de câmeras de vigilância, iluminação, entre outras ações no campus para garantir nossa segurança. As promessas foram cumpridas”, disse.

O diretório também informou que teve apoio do vereador Josias da Juco (PSD) para dialogar com a GCM, a Polícia Militar, a Delegicia Seccional de Osasco e o vice-prefeito Valmir Prascidelli (PT). “Foi iniciada uma força tarefa e três homens foram presos, sob suspeita de atuar na região da faculdade. A polícia e Guarda estão trabalhando nos horários de entrada e saída dos alunos e não recebemos mais nenhuma queixa de assaltos ou furtos próximo ao campus”, relatou.

Mesmo assim, alguns alunos ainda sentem-se inseguros e dizem que o policiamento não durou muito tempo. “A manifestação surtiu efeito apenas por duas semanas, porque ficava um carro da polícia aqui na frente. Eles vieram conversar com os alunos e se comprometeram a fazer o policiamento, mas depois sumiram”, disse Tainá Ferreira. (Carol Nogueira)

Comentários