Greve dos bancários continua e fecha 879 locais de trabalho

0

Um balanço feito pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região mostra que 879 locais de trabalho, sendo 20 centros administrativos e 899 agências fecharam nesta segunda-feira, 12, sétimo dia de greve dos bancários, na base do Sindicato (São Paulo, Osasco e Região). Estima-se que mais de 42 mil trabalhadores participaram das paralisações.

publicidade

Durante todo o período de greve, o autoatendimento continua funcionando normalmente.

Nesta terça-feira, às 14h, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e o Comando Nacional dos Bancários se reuniram para uma nova rodada de negociação.

publicidade

“Mais uma vez os bancos têm a oportunidade de apresentar uma proposta digna para os trabalhadores e acabar com a greve, em respeito a toda a sociedade”, disse Juvandia Moreira, presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários.

Mobilização

publicidade

Data-base dos bancários é 1º de setembro. A categoria entregou pauta com as reivindicações no dia 09 de agosto e, após cinco rodadas de negociação com a federação dos bancos (Fenaban), não houve acordo para o índice de reajuste e demais reivindicações. No dia 30/08 os bancos apresentaram proposta com reajuste de 6,5% com R$3.000 de abono para os trabalhadores. Categoria, após assembleias realizadas em todo o país no dia 01/09, rejeitou proposta e greve teve início no dia 06/09. A segunda proposta aconteceu no dia 09/09, com reajuste de 7% (com 2,39% de perda salarial) e abono de R$3.300, rejeitada na mesa de negociação.

Principais reivindicações Campanha Nacional Unificada 2016:
•      Reajuste Salarial de 14,78%, sendo 5% de aumento real, com inflação de 9,31%
•      PLR – três salários mais R$ 8.297,61
•      Piso – Salário mínimo do Dieese (R$ 3.940,24)
•      Vales Alimentação, Refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá  – Salário Mínimo Nacional (R$ 880)
•      14º salário;
•      Fim das metas abusivas e assédio moral – A categoria é submetida a uma pressão abusiva por cumprimento de metas, que tem provocado alto índice de adoecimento dos bancários;
•      Emprego – Fim das demissões, ampliação das contratações, combate às terceirizações e precarização das condições de trabalho
•      Melhores condições de trabalho nas agências digitais
•      Mais segurança nas agências bancárias
•      Auxílio-educação

Proposta Federação Nacional dos Bancos (Fenaban): dia 09/09
Pagamento de um abono no valor R$ 3,3 mil para todos os bancários e um índice de reajuste dos salários e benefícios de 7% (perda real de 2,39%).
Como é hoje:

Piso escritório após 90 dias – R$1.976,10

Piso caixa/tesouraria após 90 dias – R$ 2.669,45

PLR – Regra básica: 90% do salário + 2.021,79 (podendo chegar a 2,2 salários) e parcela adicional: 2,2% do lucro líquido dividido linearmente entre os trabalhadores, com teto de R$ 4043,58

Auxílio-refeição: R$ 29,64 por dia

Auxílio cesta alimentação e 13ª cesta – R$ 491,52

Auxílio-creche/babá (filhos até 71 meses) – R$ 394,70

Auxílio-creche/babá (filhos até 83 meses) – R$ 337,66

Comentários