Homem mata melhor amigo por ciúme em Barueri

0
homem mata melhor amigo em Barueri
Cledson foi morto pelo melhor amigo Binho, com dois golpes de faca / Foto: reprodução/Cidade Alerta

Um homem, de 29 anos, foi morto pelo melhor amigo, de 28, com golpes de faca no domingo (7), em Barueri. Segundo familiares, o assassino tinha um ciúme doentio e não gostava de ver o amigo se relacionando com mulheres.

publicidade

A confusão teve início em um bar, que estava cheio, mesmo no período de quarentena devido a pandemia do novo coronavírus. À polícia, o assassino, conhecido como “Binho”, contou que estava no bar conversando com uma mulher, que era ex-namorada da vítima, e que o amigo, “Cledson” apareceu em seguida e teria tido um ataque de ciúme.

Após a briga, o assassino teria ido para sua casa, que fica próximo ao bar, para pegar uma uma faca. Ainda revoltado com a situação, a vítima que tinha livre acesso à casa do amigo e foi atrás dele, mas não conseguiu escapar com vida.

publicidade

A versão do assassino foi desmentida pela ex-namorada da vítima, apontada como pivô do crime. Ela contou ao “Cidade Alerta”, da Record, que o amigo do ex-namorado não teria aceitado que eles reatassem o namoro e que o homem que se dizia ser o melhor amigo da vítima sempre interferiu no relacionamento deles.

“Ele tinha premeditado tudo. Ele foi na casa dele, pegou a faca e voltou no bar”, contou a ex-namorada da vítima na reportagem. Ela diz que Binho, o assassino, queria tirar a vida do melhor amigo Cledson a qualquer custo.

publicidade

A ex-namorada da vítima foi testemunha do crime. Ela encontrou Binho em cima do ex-namorado, que já estava sem vida. “Ele tirou a faca normal [do corpo de Cledson] e olhou para mim”, disse.

Binho confessou o crime via WhatsApp para a irmã da vítima. Ele chegou a mandar uma foto com a mão suja de sangue e alegou ter desferido dois golpes de faca contra o melhor amigo.

O assassino foi encaminhado para o DP de Barueri, onde foi liberado para responder o processo em liberdade após alegar que agiu em legítima defesa.

“A gente quer justiça porque o meu irmão morreu. Ele morreu na hora e ninguém fez nada”, disse uma irmã da vítima à reportagem da Record TV.

Após ser liberado pela polícia, Binho não foi mais visto onde morava. Nas redes sociais, ele postou uma foto ao lado do melhor amigo.

Comentários