Imagens da trajetória política de Celso Giglio

Imagens da trajetória política de Celso Giglio

6
Compartilhar

O ex-prefeito de Osasco e deputado estadual Celso Giglio (PSDB) morreu nesta terça-feira, 11, aos 76 anos. Ele estava internado há mais de um mês no Hospital Albert Einstein após sofrer um acidente doméstico.

Publicidade

Segundo pessoas próximas, ele chegou a esboçar uma reação, mas teve uma piora em seu estado de saúde nos últimos dias e não resistiu.

O corpo é velado durante esta quarta, 12, no Teatro Municipal de Osasco e será enterrado à tarde, no cemitério do Bela Vista.


Evento que oficializou a denominação de Glória Giglio para o Teatro Municipal da cidade, em 2014
Giglio apoiou Rogério Lins no segundo turno das eleições de 2016

Carreira política vitoriosa e drama pessoal

Publicidade

Celso Giglio era natural Campinas. Nasceu em 19 de fevereiro de 1941, filho de Antonio Giglio e de Maria Gatti Giglio. Foi casado com Glória Giglio, com quem teve cinco filhos e quatro netos.

Chegou a Osasco no início da década de 60. Médico, formado pela Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro, começou a trabalhar como médico concursado do antigo SAMDU (Serviço de Assistência Médica e Domiciliar de Urgência), e da Prefeitura de Osasco. Também passou pela superintendência da antiga FUSAM (Fundação de Saúde do Município de Osasco) e foi secretário de Saúde do município de 1977 a 1982.

Presidiu a Associação Paulista de Medicina – Regional Osasco, entre 1975 e 1977 e foi também presidente da FITO (Fundação Instituto Tecnológico de Osasco), entre 1977 e 1980.

A carreira política eletiva começou com a eleição a vereador em 1988, com a maior votação até então. Foi presidente da Câmara Municipal de Osasco, depois deputado estadual, prefeito por dois mandatos, deputado federal, Superintendente do IAMSPE e atualmente exercia seu terceiro mandato como Deputado Estadual.

Publicidade

Era um municipalista convicto, tendo ocupado a Presidência da Associação Paulista de Municípios – APM, por mais de dez anos. Defendia a necessidade de um pacto federativo mais justo e equilibrado, garantindo mais autonomia e poder de decisão aos municípios em diversas questões que ainda são da alçada do Estado e do Governo Federal.

Sua vida pessoal foi marcada por uma tragédia que comoveu toda a cidade de Osasco: a morte, num terrível acidente de carro, de sua esposa, Gloria Giglio, em 2013.

Dr. Celso conduzia o automóvel quando aconteceu, no Km 165 da Rodovia Castelo Branco. Depois de ficar internado por várias semanas, voltou ao trabalho e à vida política, mas a saúde nunca mais foi a mesma.

Compartilhar

Comentários