José Pereira da Silva Neto: Conscientização sobre o assédio moral é essencial

0
O presidente do Secor, José Pereira Neto
José Pereira Neto - presidente do Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região (Secor)

O presidente do Secor, José Pereira Neto
José Pereira da Silva Neto é presidente do Secor

publicidade

Infelizmente, ainda são muito comuns no dia a dia dos trabalhadores brasileiros as práticas abusivas que caracterizam o assédio moral no ambiente de trabalho, não só no comércio, mas em todas as outras categorias.

Em uma pesquisa realizada pela equipe do Vagas.com e BBC Brasil em todo o Brasil, 4.975 trabalhadores foram questionados sobre assédio moral, no final de maio. Deste número, 52% disseram ter sido vítimas de assédio moral ou sexual, e 34% já presenciou alguma ocorrência.

publicidade

Pensando nesses dados, o Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região (Secor) está realizando em sua página do Facebook uma campanha contra o assédio moral, do dia 15 a 23 de junho. O nosso objetivo, como representante oficial dos trabalhadores do comércio, é chamar atenção para o desrespeito e desvalorização que muitos profissionais ainda enfrentam em seu dia a dia e fazer com que as vítimas denunciem o agressor!

O assédio moral é caracterizado por atos desumanos, antiéticos humilhantes e constrangedores, geralmente, praticados por chefes ou colegas que se acham superiores a vítima. As ameaças constantes, isolamento, insultos, prazos e metas irreais, restrição ao uso do banheiro e revista vexatória, são alguns exemplos das situações em que o trabalhador é submetido.

publicidade

O objetivo dessa prática? Desestabilizar emocional e profissionalmente a vítima para forçá-la a pedir demissão. Com isso, o agressor coloca em risco não apenas o emprego do trabalhador, mas sua saúde e sua vida, já que, em alguns casos, a vítima sofre distúrbios psicológicos, interferindo na identidade e na dignidade da pessoa e intervindo em sua qualidade de vida, podendo levar à morte.

Não há uma explicação concreta para a escolha das vítimas, mas há as diferenças de gênero, raça, orientação sexual, entre outras. No entanto, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, a maioria das vítimas são mulheres negras.

Nosso objetivo como Sindicato é colocar um ponto final neste ato de covardia! Por isso, se você é vítima de assédio moral ou presenciou alguma situação, anote com detalhes as humilhações, procure ajuda de algum colega para dar visibilidade ao assédio, evite conversar com o agressor sem testemunhas e procure o sindicato de sua categoria! Outras instituições que podem ser procuradas são o Ministério do Trabalho; Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego; Comissão de Direitos Humanos; Conselho Regional de Medicina; e Justiça do Trabalho.

Para saber mais sobre o assédio moral, confira a campanha do Secor em nosso Facebook! (www.facebook.com/SecorCut)

Comentários