Justiça abre ação contra ex-prefeito

0

Quinzinho foi prefeito pelo PSDB
Quinzinho foi prefeito pelo PSDB

publicidade

A denúncia feita pelo Ministério Público Federal contra 12 pessoas que participaram de suposto esquema de licitações fraudulentas envolvendo a prefeitura de Cotia foi recebida pela Justiça Federal. Joaquim Horácio Pedroso Neto, o Quinzinho, ex-prefeito da cidade pelo PSDB, foi denunciado juntamente com outros três funcionários da administração municipal e oito integrantes das empresas envolvidas. Os prejuízos causados aos cofres públicos com os contratos firmados ultrapassam R$ 12 milhões. Quinzinho tem afirmado em entrevistas que será candidato a prefeito ano que vem.
De acordo com a denúncia, as licitações irregulares ocorreram de 2003 a 2008 e envolviam sobrepreço na compra de materiais e serviços da empresa Home Care, de saúde. Para isso, o prefeito, o então secretário de Saúde de Cotia, Fábio César Cardoso de Mello, e a chefe do setor de Compras da Prefeitura, Aldenice Rodrigues dos Santos, teriam definido um objeto de contratação incomum e desnecessariamente amplo que incluía não só o fornecimento de medicamentos e materiais médicos, odontológicos e hospitalares, mas também o controle do armazenamento e distribuição desses produtos.
Essa estratégia teria permitido que, durante o contrato, o município comprasse materiais superfaturados em quantidade até 50 vezes maior que a prevista. Amostragem realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), em um período de oito dos mais de 100 meses em que vigorou o contrato da Home Care, constatou sobrepreço de 132% nos medicamentos e de 103% nos materiais médico-hospitalares.
Procotia
O ex-prefeito Quinzinho também foi denunciado pelo MPF por suposto esquema na empresa pública Procotia, que teria desviado R$ 27,5 milhões dos cofres públicos de Cotia entre 2001 e 2005. O esquema envolveria superfaturamento de salários e a contratação de funcionários fantasmas. A denúncia ainda não foi aceita pela justiça.

publicidade
Comentários